Alterações do Eu Corporal e os Transtornos Alimentares

0 20

Muito se tem falado em transtornos alimentares. Porque algumas pessoas não conseguem emagrecer, ou porque outras se sentem gordas, ou fracas ou magras?

Segundo Carmelo Monedero (apud Dalgalarrondo, 2008), o corpo é um objeto peculiar que percebe e é percebido, sendo objeto importante para o ser humano, que define a imagem corporal como a representação que cada indivíduo faz do seu próprio corpo.

A percepção do corpo refere-se à constituição e à organização de uma imagem construída pelas representações mentais referentes ao corpo, fornecidas pela cultura e pela história de cada indivíduo e está sempre ligada à experiência afetiva, imposta pela relação com o outro. A imagem corporal corresponde à totalidade da organização psicológica do indivíduo.

O fenômeno psicológico seja qual for a sua conceituação, aparece descolado da realidade na qual o indivíduo se insere e, mais ainda deslocado do próprio indivíduo que o abriga. Esta é a noção: algo que se abriga em nosso corpo, do qual não temos muito controle, visto como algo que em determinados momentos de crise nos domina sem que tenhamos qualquer possibilidade de controlá-lo; algo que inclui “segredos” que nem mesmo nós sabemos; algo enclausurado em nós que é ou contém um “verdadeiro eu” (BOCK; GONÇALVES; FURTADO, 2001 p.21).

As emoções e comportamentos das pessoas são influenciados pelo modo como elas interpretam os eventos, o modo como às pessoas se sentem está associado ao modo como elas interpretam e pensam sobre a situação. Essas interpretações são chamadas de crenças centrais e podem ser categorizadas na esfera do desamparo, do não ser amado ou em ambas, elas são apreendidas na infância à medida que a criança interage com pessoas para ela significativas e que encontrem situações que confirmem estas ideias. A maioria das pessoas podem manter crenças centrais relativamente positivas sobre si mesmas, como por exemplo: “eu sou amável”; “eu sou digno”, porém durante momentos de aflição psicológica podem vir à tona crenças centrais negativas. (Beck, 1997).

Os transtornos alimentares tais como bulimia, anorexia, obesidade, compulsão alimentar, entre outros, são de etiologia multifatorial, ou seja, influenciados pela genética, família, estressores sociais, etapas do ciclo vital (adolescência/menopausa) e tem um grande vínculo com o estado emocional e afetivo do indivíduo, o que pode levá-lo a uma distorção da imagem corporal.

Por outro lado às conexões corticais intra e inter-hemisféricas conferem ao lobo parietal um papel central na integração sensorial somático-sensitivo e vestibular, permitindo a consciência do corpo (somatognosia). As informações somatossensoriais são importantes para a formação do esquema corporal e, dessa forma, a estimulação somatossensorial deve ser incluída no tratamento de indivíduos que apresentam distúrbios do esquema corporal (Dalgalarrondo, P., 2008).

Segundo Beck (2009) um dos componentes chaves para qualquer tratamento com a TCC (Terapia Cognitivo-Comportamental) é a ênfase dada em ajudar as pessoas a mudarem seus pensamentos de forma que elas possam mudar suas ações. Não adianta fazer dietas milagrosas, que irão duras algumas semanas e depois voltar ao que era, ou até pior.

Conhecer os fatores emocionais e afetivos que estão por detrás do que leva você a comer ou deixar de comer, ter consciência dos seus pensamentos sabotadores e gatilhos, são fundamentais para qualquer tratamento, além da importância de um acompanhamento interdisciplinar médico, nutricional e psicológico para se obter um resultado mais fidedigno.

Bibliografia
BECK, J, Pense Magro, artmed, 2009.
CARDIOLI, ARISTIDES V. e colaboradores, Psicoterapias, artmed, 2008.
DALGALARRONDO, P., Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais, artmed, 2008.

Artigo escrito por:
Maria da Conceição V. Gioia
Psicóloga Clínica Cognitivo-Comportamental, Hipnoterapeuta, Gerontóloga, Formação em Transtornos alimentares

 

In : http://www.buscasaude.com.br/materias-nutricao/alteracoes-do-eu-corporal-e-os-transtornos-alimentares-2/

Gostar
Seguir
google
Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo