Saúde e bem-estar

Aumento dos descontos para a ADSE começa a aplicar-se em Maio

Os atrasos na aprovação do diploma que aumenta os descontos para a ADSE e para os subsistemas de saúde dos militares (ADM) e das polícias (SAD) vai reduzir o impacto orçamental da medida em 2014. O alerta de Bruxelas está inscrito no relatório da 11ª avaliação ao programa português divulgado na passada quinta-feira, onde se prevê que os beneficiários comecem a pagar mais a partir de Maio, avança o jornal Público.

 

A Comissão Europeia tem a expectativa de que o aumento comece a vigorar a partir do mês de Maio e lembra que a medida sofreu algum atraso devido ao veto do Presidente da República. “A conversão do decreto-lei em lei vai atrasar a sua implementação e reduzir de certa forma as poupanças inicialmente esperadas para 2014”, lê-se no relatório.

 

Bruxelas explica ainda que, tanto o aumento dos descontos para a ADSE como o programa de rescisões amigáveis dos professores, também terão consequências orçamentais em 2015, sendo contabilizadas no universo das medidas já apresentadas pelo Governo para conseguir atingir um défice de 2,5% no próximo ano.

 

No relatório fala-se especificamente de “duas medidas adotadas em 2014, mas que só terão efeito mais tarde no ano”. Detalhando “em particular o aumento das contribuições dos beneficiários para os subsistemas de saúde (que se espera que entre em vigor em Maio de 2014) e o programa de rescisões amigáveis dos contratos com os professores (a maioria dos quais terão efeitos em Setembro de 2014)”.

 

O aumento de 2,5% para 3,5% dos descontos para a ADSE e para os restantes subsistemas de saúde foi apresentado (juntamente com o alargamento da Contribuição Extraordinária de Solidariedade) em Janeiro pelo Governo para responder ao chumbo da lei da convergência das pensões do Estado.

 

Na altura, o executivo disse que esperava arrecadar entre 150 e 160 milhões de euros com a medida, dependendo da data da sua entrada em vigor.

 

Entretanto, o Presidente da República vetou a proposta, manifestando “sérias dúvidas de que seja necessário aumentar as contribuições dos 2,5% para 3,5%, para conseguir o objectivo pretendido” de garantir a auto-sustentabilidade dos sistemas.

 

O Governo insistiu na medida e enviou o diploma para a Assembleia da República. A versão final foi aprovada a 17 de Abril e espera agora pela decisão do Presidente da República.

 

Cavaco Silva pode vetar o diploma novamente ou enviá-lo para o Tribunal Constitucional.

 

Fonte: Público
http://www.publico.pt/economia/noticia/bruxelas-alerta-para-reducao-das-…

Looks like you have blocked notifications!
93,875Fans
627Seguidores
276seguidores
6,774seguidores
3,579Seguidores
94Subscritores
3,369Membros
15,245Assinantes
 Segue o nosso canal
Faz um DonativoFaz um donativo

Comenta no Facebook

Pub

wolfspell

Administrador da PortalEnf e apaixonado pela Enfermagem. Queres ser Editor da PortalEnf e publicar artigos e notícias? Contata-nos!

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Permainan judi slot online terbaik

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.
Partilha isto com um amigo
pasaran togel