Antioxidantes podem promover progressão do melanoma, diz estudo

0 19

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Supostamente criados para melhorar a saúde das células e retardar o envelhecimento, os antioxidantes podem ter um efeito negativo sobre o melanoma, o tipo mais mortal de cancro da pele, facilitando a propagação das metástases – é o que diz um estudo publicado pela revista britânica Nature.

As metástases são células cancerígenas que permitem a um cancro inicial propagar-se para outras partes do corpo.

Uma equipa de cientistas do Instituto de Pesquisa sobre as Crianças, com sede em Dallas (EUA), transplantou células humanas de melanoma sobre camundongos transgénicos e descobriu que o cancro se desenvolvia mais rápido entre aquelas que receberam injeções de antioxidantes do que entre aquelas que não haviam recebido.

«Os nossos resultados sugerem que os antioxidantes favorecem a progressão da doença, pelo menos no caso no melanoma, estimulando as metástases», concluem os autores no final do estudo.

Esta não é a primeira vez que uma relação entre antioxidantes e cancro é colocada em evidência pela equipa. Em 2014, cientistas suecos mostraram que o consumo de suplementos alimentares antioxidantes, mais especificamente a vitamina E, acelerava o desenvolvimento de lesões pré-cancerígenas ou cancros precoces do pulmão nos camundongos e nas células humanas em laboratório.

Os antioxidantes podem ser encontrados na alimentação (vitaminas A, C e E), mas também sob forma de suplementos alimentares, permitindo neutralizar os radicais livres das moléculas (ou stress oxidativo) responsáveis pelo envelhecimento dos tecidos.
A explicação dos estudiosos seria, segundo eles, que as células cancígenas «aproveitariam mais os antioxidantes do que as células normais».

Até ao momento, contudo, o risco de propagação das metástases não foi comprovado nos seres humanos, apenas nos camundongos que receberam injeções diárias de um precursor da glutationa (protector celular do stress oxidativo).

Este stress oxidativo, considerado nefasto em pessoas saudáveis, poderia – ao contrário – ser bastante benéfico numa pessoa afectada pelo melanoma, explicam os pesquisadores.

Eles explicam ainda que os resultados poderiam abrir o caminho para tratamentos de pró-oxidantes que permitam evitar a propagação de metástases.

Fonte: Diário Digital

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina aqui a nossa Newsletter e recebe todas as novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinar. Vais receber um mail... verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo