Oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO)

0 1.379

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO) proporciona suporte ao coração ou aos pulmões. Ela é usada com maior frequência em bebes em estado crítico com doenças cardíacas ou pulmonares. Crianças e adultos também podem ser beneficiados com a ECMO.

Ela utiliza um tipo de pulmão artificial para oxigenar o sangue. Esse equipamento é chamado de oxigenador da membrana e associa um aquecedor e um filtro para fornecer oxigênio ao sangue para que seja devolvido ao corpo.

De acordo com a Organização de Suporte à Vida Extracorpórea (Extracorporeal Life Support Organization – ELSO, 2010), a ECMO foi usada pela primeira vez em 1975. Anualmente, 2.800 recém-nascidos se beneficiam da ECMO. O uso da ECMO em crianças e adultos está aumentando (ELSO, 2010).
Utilização:
Os pacientes são colocados em ECMO devido a problemas cardíacos e pulmonares graves, mas com possibilidade de serem revertidos. A ECMO assume a função do coração e dos pulmões. Esse suporte oferece aos pacientes a oportunidade de repouso e recuperação.

A ECMO pode dar aos pequenos corações e pulmões de recém-nascidos mais tempo para se desenvolverem. Ela também pode ser utilizada como uma ponte antes e depois de tratamentos como cirurgia cardíaca.

De acordo com o Hospital Infantil de Cincinnati (Cincinnati Children’s Hospital), a ECMO é usada geralmente em situações extremas. Em geral, o suporte extracorpóreo é utilizado depois que outras medidas de suporte tiverem falhado. A sobrevida de pacientes nessas situações normalmente é estimada em 20 por cento ou menos. Com a ECMO, as taxas de sobrevivência podem subir para 60 por cento (Cincinnati Children’s, 2010).

Doenças em que o uso de uma ECMO pode ser necessária:

bebes;
síndrome do desconforto respiratório (dificuldade para respirar);
hérnia diafragmática congénita (um orifício no diafragma);
síndrome de aspiração de mecónio (inalação de secreções gastrointestinais);
hipertensão pulmonar (pressão alta do sangue na artéria pulmonar);
pneumonia grave;
insuficiência respiratória;
parada cardíaca;
cirurgia cardíaca;
septicemia;
crianças;
pneumonia;
infecções graves;
malformações cardíacas congénitas;
cirurgia cardíaca;
trauma e outras emergências;
aspiração de materiais tóxicos nos pulmões;
asma;
adultos;
pneumonia;
trauma e outras emergências;
suporte cardíaco;
infecções graves.

Como funciona
A ECMO é composta de diversas partes:

cânulas: grandes cateteres (tubos) inseridos nos vasos sanguíneos para remover e devolver o sangue ao corpo.
oxigenador de membrana: um pulmão artificial que oxigena o sangue.
aquecedor e filtro: equipamento que aquece e filtra o sangue antes de ser devolvido ao corpo.
Durante o processo de ECMO, as cânulas bombeiam sangue azul do corpo. Esse sangue foi privado de oxigênio. O oxigenador de membrana coloca o oxigênio no sangue. O sangue muda para a cor vermelha. Em seguida, o sangue é enviado através do aquecedor e de um filtro e é devolvido ao corpo.

Existem dois tipos de ECMO:

ECMO VV
A ECMO Veno-venoso (VV) retira o sangue de uma veia e o retorno também é feito por uma veia. Este tipo é usado para suporte da função pulmonar.

ECMO VA
A ECMO veno-arterial (VA) retira o sangue de uma veia e o retorno é feito por uma artéria. A ECMO VA é utilizada tanto para suporte cardíaco quanto pulmonar. Esse tipo é mais invasivo do que a ECMO VV. Às vezes, a artéria carótida precisa ser fechada depois do procedimento. A artéria carótida é a principal artéria do coração ao cérebro.

Preparação
O paciente será avaliado antes de ser colocado na ECMO. Um ultrassom do crânio será realizado para garantir que não haja sangramento no cérebro. Um ultrassom cardíaco determinará se o coração está funcionando normalmente.

Enquanto o paciente estiver na ECMO, um raio X de tórax será feito diariamente.

Uma vez que a decisão para iniciar a ECMO tiver sido tomada, o equipamento será preparado. Isso será feito por uma equipe especializada em ECMO, incluindo um médico credenciado com formação e experiência em ECMO. Essa equipe também incluirá:

enfermeiros de UTI;
fisioterapeutas especializados em respiração;
perfusionistas, profissionais especializados no uso de equipamentos cardiopulmonares;
profissionais e consultores de apoio;
uma equipe de transporte 24 horas por dia/7 dias por semana;
especialistas de reabilitação.
Os médicos habilitados para a prática da ECMO devem ter certificação registrada no conselho de medicina em:

neonatologia;
tratamento intensivo;
cuidado cardiovascular/torácico;
outras especialidades.

Durante a ECMO
Dependendo da idade do paciente, o cirurgião colocará e fixará cânulas no pescoço, na virilha ou no tórax. O procedimento será realizado sob anestesia geral. O paciente geralmente permanece sedado enquanto permanecer na ECMO.

A ECMO assume a função do coração e/ou dos pulmões. O paciente deverá ser rigorosamente monitorado enquanto permanecer na ECMO. O monitoramento pode incluir raios X diários e também monitoramento dos parâmetros a seguir:

frequência cardíaca;
frequência respiratória;
níveis de oxigênio;
pressão arterial.
Serão utilizados um tubo de respiração e um ventilador que manterão os pulmões do paciente em funcionamento e ajudarão a remover secreções.

Medicamentos serão administrados continuamente por meio de um cateter endovenoso. Um medicamento importante é a heparina. Esse anticoagulante impede a coagulação enquanto o sangue circula na ECMO.

Os pacientes podem permanecer em ECMO por um período de três dias a um mês. Entretanto, quanto mais um paciente permanecer na ECMO, maior será o risco de complicações.

Riscos
O maior risco de ECMO é o sangramento. A heparina afina o sangue para impedir a coagulação. Entretanto, aumenta também o risco de sangramento no corpo e no cérebro. Os pacientes em ECMO devem ser regularmente examinados para detectar problemas de sangramento.

Também há um risco de infecção devido à inserção das cânulas. É provável que os pacientes recebam transfusões de sangue frequentes durante a ECMO, o que também envolve um pequeno risco de infecção.

Outro risco é a ocorrência de defeito ou falha no equipamento de ECMO. A equipe de ECMO é treinada para agir em situações de emergência como no caso de falha do equipamento.

Recuperação
Os pacientes serão removidos da ECMO à medida que melhorarem. Isso será feito gradualmente, reduzindo a quantidade de sangue oxigenado pela ECMO. Quando removido da ECMO, o paciente geralmente permanece em ventilação mecânica por algum tempo.

Os pacientes submetidos à ECMO necessitarão de monitoramento rigoroso de doença não aparente. As crianças com baixos níveis de oxigênio antes da ECMO apresentam maior risco de problemas de desenvolvimento.

Fonte: healthline

Veja o Video:

Fonte do video: Anna Hennessey

Gostar
Seguir
google

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina a nossa Newsletter e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo