70 milhões para mulher que tem cancro por causa do pó de talco

0 44

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Johnson & Johnson vai pagar indemnização a mulher que usou pó de talco da marca durante mais de 40 anos e tem cancro do ovário

Uma mulher norte-americana vai receber uma indemnização de 70 milhões de dólares, cerca de 64 milhões de euros, da Johnson & Johnson após ter ganho em tribunal um processo contra a empresa. Deborah Giannecchini, da Califórnia, Estados Unidos, afirmou que o pó de talco da marca lhe provocou cancro do ovário e, segundo o advogado, tem 80% de hipóteses de morrer nos próximos dois anos devido a esta doença.

Deborah, de 62 anos, foi diagnosticada em 2012 após ter usado o pó de talco da Johnson & Johnson durante mais de 40 anos, segundo a Bloomberg. Apesar de já ter feito cirurgias, quimioterapia e radioterapia, os médicos dão-lhe poucas probabilidades de sobreviver, segundo Allen Smith, um dos seus advogados.

Este é o terceiro caso relacionado com os efeitos secundários do pó de talco que a Johnson & Johnson perde e há pelo menos outros 1700 processos em tribunais norte-americanos. Em fevereiro, a empresa foi condenada ao pagamento de uma indemnização de 72 milhões de dólares (65 milhões de euros) e em maio um outro veredito obrigou ao pagamento de 55 milhões de dólares (50 milhões de euros).

O advogado de Deborah disse em tribunal que a empresa tem conhecimento dos efeitos cancerígenos dos seus produtos há muito tempo, pois existem estudos feitos nos últimos 30 anos que provam que o uso de talco aumenta o risco de cancro do ovário.

“Eles sabiam e sabiam que o público não sabia”, disse Allen Smith, segundo a Bloomberg.

“Parece que eles nem sequer se importam”, afirmou Billie Ray, que integrou o júri que julgou o caso e que acredita que a empresa devia pôr um aviso nos seus produtos prejudiciais e deixar que os consumidores decidam se os usam ou não.

Embora alguns estudos e investigações não tenham encontrado nenhuma ligação ou uma ligação ínfima entre o uso do pó de talco e o cancro do ovário – e são estes que a marca usa em sua defesa – outros afirmam que mulheres que usem pó de talco regularmente na área genital têm mais 40% de probabilidades de ter cancro do ovário, segundo a Sky News.

A Johnson & Johnson tem desmentido estes últimos estudos e garante que o seu produto é seguro.

Após o veredito, Deborah disse que esperou muito tempo por esta vitória. “Eu queria tanto isto”, contou à Bloomberg.

A empresa emitiu um comunicado, segundo a Sky News, em que informava que não vai aceitar a decisão. “Nós vamos recorrer do veredito de hoje pois somos guiados pela ciência, que comprova que o nosso pó de talco é seguro”.

A Agência Internacional para a Investigação do Cancro da Organização Mundial de Saúde (OMS) caracteriza o talco como uma substância “possivelmente cancerígena”, mas coloca-a na mesma categoria de produtos como o café, segundo a Reuters. Por causa das dúvidas que rodeiam este produto, e porque não é essencial, os médicos desaconselham o seu uso da OMS.

Fonte: http://www.dn.pt/

Gostar
Seguir
google

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina a nossa Newsletter e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo