A importância da interrupção diária da sedação

0 409

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A sedação é um componente importante ao lidar com pacientes em ventilação mecânica, pois diminui a resposta ao stress, à ansiedade e à assincronia do paciente com o ventilador.

Níveis de sedação (Yagiela et al)

  • Sedação mínima – nível de consciência minimamente deprimido, produzidos por métodos farmacológicos, que conserva a capacidade do paciente em manter as vias aéreas continuamente independentes e responder normalmente a estímulos táteis e verbais. Embora a função cognitiva e a coordenação possam estar discretamente prejudicadas, as funções ventilatória e cardiovascular não são afetadas.
  • Sedação moderadadepressão da consciência induzida por fármacos, durante a qual o paciente responde voluntariamente a comandos verbais sozinhos ou acompanhado pela estimulação tátil da luz. Nenhuma intervenção é necessária para manter as vias aéreas permeáveis e a ventilação espontânea é adequada. A função cardiovascular costuma ser mantida. 
  • Sedação profunda depressão da consciência induzida por fármaco, na qual os pacientes não podem ser facilmente acordados, mas respondem voluntariamente após estímulos repetidos ou dolorosos. A capacidade para manter a função ventilatória independente pode estar prejudicada. Os pacientes necessitam de auxílio para manter as vias aéreas pérvias e/ou suporte ventilatório. A função cardiovascular normalmente é mantida.

Embora a sedação seja importante, também, tem sido associada a efeitos adversos que culminam no prolongamento do suporte ventilatório e no maior período de internação.

A interrupção diária da sedação (DIS) ou  Daily Sedation Interruption (DSI) é utilizada em aproximadamente 40 a 50% das Unidades de Cuidados Intensivos. Esse conceito surgiu com o objetivo de evitar a sedação excessiva que interfere significativamente na recuperação do paciente.

O objetivo dessa manobra é diminuir o tempo de ventilação mecânica e permanência na UCI. Além disso, reduz as alterações no estado mental (delirium).

Consiste em suspender a sedação até que o paciente desperte. Quando o paciente despertar, a infusão do fármaco pode ser restabelecida na mesma dosagem ou em metade da dose e velocidade prévias.

O uso da DIS promove a diminuição do acúmulo de sedativos e metabólitos e recuperação mental mais rápida para a ventilação eficaz. A capacidade do paciente respirar diminui o tempo de ventilação mecânica e as complicações decorrentes dela.

Razões para não realizar a DIS (Sakata)

  • Receio de comprometimento respiratório,
  • Não aceitação da equipe de enfermagem
  • Receio de saída acidental de cateteres e drenos
  • Instabilidade neurológica, respiratória e cardiovascular
  • Receio de aumento da pressão intracraniana

Os problemas associados à DIS

  • Elevação no índice de extubação acidental
  • Retirada inadvertida pelo paciente de acessórios de monitorização e acesso venoso
  • Angústia e ansiedade
  • Elevação da pressão intracraniana

Contraindicações da DIS

  • Em pacientes dependentes de drogas psicoativas – manifestações de abstinência – geralmente ocorrem após 6 horas da interrupção
  • Em pacientes em uso de bloqueadores neuromusculares
  • Nos casos de uso para controle de convulsão e de agitação
  • Nos casos de isquemia miocárdica anterior (24 horas)
  • Nos casos de aumento de pressão intracraniana

A Associação Médica Brasileira e a Agência Nacional de Saúde Suplementar referem que a sedação deve ser individualizada, respeitando cada paciente de acordo com as suas particularidades, estabelecendo objetivos em relação ao nível de sedação.

Para o sucesso desse procedimento é fundamental ter um número adequado de profissionais enfermeiros, médicos, fisioterapeutas com habilidade de detectar precocemente a necessidade de retorno a sedação e implementar a rotina de uso de escalas de avaliação de sedação. A escala, validada em diferentes estudos, com sensibilidade entre 93 e 100% e especificidade entre 98 e 100%, para essa finalidade é a Escala de Richmond – Richmond Agitation Sedation Scale (RASS).

Fonte: SaúdeExperts

Gostaste deste artigo? Divulga-nos junto dos teus amigos e colegas!

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Loading
Loading...
Share This Article:

close