Está a demorar?clique aqui...
A Carregar
PortalEnf Comunidade de Saúde
Comunidade de Saúde Online com artigos e notícias

Ministério da Saúde chama enfermeiros para reunião

0 3.451

Como forma de tentar evitar a greve, Ministério da Saúde chama enfermeiros para reunião.

Convocatória foi enviada esta quarta-feira, depois da Federação Nacional dos Sindicados dos Enfermeiros ter anunciado que ia avançar com greve por tempo indeterminado

O Ministério da Saúde convocou ontem a Federação Nacional dos Sindicados dos Enfermeiros (FENSE), que junta o Sindicato dos Enfermeiros e o Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem, para uma reunião na próxima segunda-feira, dia 9, para discutir o memorando de entendimento no processo de negociação. Esta quarta-feira, tal como o DN avançou, os dois sindicatos enviaram o pré-aviso de greve a partir do dia 23, primeiro cinco dias passando automaticamente a tempo indeterminado.

O ofício do ministério foi enviado hoje por email a chamar os dois sindicatos para uma reunião no mesmo dia em que a delegação governamental reúne com o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), encontro que tinha ficado marcado na semana passada. Junto com a convocatória, a FENSE recebeu o memorando de negociação do Ministério da Saúde.

“O documento não altera nada, é simulacro”, disse ao DN José Azevedo, presidente do Sindicato dos Enfermeiros, referindo que a proposta do governo não se alterou em nada: mantém-se a proposta de um suplemento de 150 euros para os enfermeiros especialistas, a passagem às 35 horas para todos os enfermeiros a partir de julho e a revisão da carreira a partir de janeiro do próximo ano.

“Ou há uma alteração ou nada vai fazer parar a greve. E a alteração não pode ser outra que não reiniciar as negociações. A 24 de julho entregámos um protocolo negocial e a 16 de agosto entregámos um projeto de acordo coletivo de trabalho. Queremos recomeçar as negociações a 16 de outubro a arrumar as cláusulas que fiquem acordadas e passar à fase seguinte: colocar em prática no início de janeiro os horários de trabalho e os vencimentos”, afirmou José Azevedo.

Perante este cenário, e tal como o DN avançou na sua edição desta quarta-feira, a FENSE entregou um pré-aviso de greve a partir do dia 23, primeiro por cinco dias mas com passagem a tempo indeterminado de forma automática.

Na mensagem de divulgação na rede social Facebook, o Sindicato dos Enfermeiros deixava esta mensagem aos associados: “A enfermagem não vai ficar refém de um Governo que não quer nada com a profissão. Greve, a iniciar a 23 de outubro, terminará quando formos reconhecidos pelas qualificações que temos e pela profissão que exercemos”.

“Na próxima reunião o ministério vai ter de tomar uma decisão. Ou resolvem as nossas necessidades ou vamos para greve”, reforçou José Azevedo.

No pré-aviso, dirigido aos ministérios da Saúde, Trabalho e Segurança Social, Finanças, Administração interna, governos regionais, hospitais e centros de saúde, a FENSE refere que os fundamentos da paralisação são a negociação de um acordo coletivo de trabalho que contemple a uniformização de horários de trabalho para 35 horas semanais, a introdução da categoria de Enfermeiros Especialistas, nas especialidades criadas ou a criar, a revisão das tabelas salariais e das portarias relativas à avaliação de desempenho..

Fonte Diário de Notícias
Loading...

Partilha este artigo!

Vê como podes ajudar!

Assina a nossa newsletter e recebe as novidades no teu mail...
×
Share This Article:

close

Send this to a friend