Investigadores defendem a existência de cinco tipos de diabetes

0 371

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Um grupo de investigadores suecos e finlandeses da Universidade de Lund, na Suécia, descobriu que a diabetes na idade adulta tem cinco tipos e não dois, como estabelecido até agora. Os cientistas consideram que esta descoberta pode ser revolucionária na forma como são definidos os tratamentos para a diabetes, no caminho de uma «medicina de precisão».

O estudo, intitulado «Novel subgroups of adult-onset diabetes and their association with outcomes: a data-driven cluster analysis of six variables», publicado esta quinta-feira na revista The Lancet, defende que a diabetes de tipo 2 tem várias formas e propõe uma nova classificação da doença.

A investigação sugere cinco tipos de diabetes, apresentando as várias diferenças genéticas em cada grupo.

– Grupo 1 – Diabetes grave autoimune: a diabetes de tipo 1 surge maioritariamente na infância e é também conhecida como diabetes insulino-dependente.

Quanto à diabetes até agora conhecida como de tipo 2, os investigadores dividiram a patologia em quatro grupos:

– Grupo 2 – Diabetes deficitária em insulina: os doentes são jovens, têm um peso equilibrado, mas têm dificuldades em produzir insulina. No entanto, a doença não é autoimune. A retinopatia diabética é a mais vulgar deste grupo

– Grupo 3 – Diabetes resistente à insulina: os doentes têm geralmente excesso de peso e produzem insulina, mas o corpo já não consegue reagir a essa produção. Há uma grande probabilidade de desenvolverem doenças hepáticas e renais.

– Grupo 4 – Diabetes relacionada com a obesidade: observada especialmente em pessoas com excesso de peso, mas com poucas alterações metabólicas.

– Grupo 5 – Diabetes relacionada com a idade: doentes que desenvolvem sintomas quando já têm uma idade muito avançada; a doença é menos grave.

Nos dois últimos casos, os investigadores afirmam que «a doença pode ser controlada com medicamentos e alterações no estilo de vida».

O estudo, que analisou 8980 diabéticos diagnosticados na idade adulta e as conclusões foram confirmadas com dados de outros 5795 doentes na Suécia e na Finlândia, pode ser lidoaqui

Gostar
Seguir
google
Fonte Univadis

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina a nossa Newsletter e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina a nossa Newsletter e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

close-link
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo