Conselho Internacional de Enfermagem dá razão à Ordem sobre dotações seguras

0 233

O Conselho Internacional de Enfermeiros (ICN) divulgou uma nova posição relativamente às dotações seguras, fundamentada em evidências, e exige um maior investimento na área da Enfermagem.

O director de Política de Enfermagem do ICN, Howard Catton, refere que “há evidências claras da importância da relação do número de Enfermeiros em relação à segurança dos pacientes em todos os sectores da saúde”, sublinhando: “Níveis inadequados ou insuficientes do número de Enfermeiros põe em risco a qualidade dos cuidados prestados, podendo desse facto resultar, inclusive, a morte de pacientes hospitalizados. O ICN reconhece que as Dotações Seguras são uma prioridade fundamental e uma questão de preocupação constante das associações membros do ICN e dos Enfermeiros que eles representam.”

As evidências demonstram que a existência de um Enfermeiro por cada 10 camas representa uma redução de 11-28% na mortalidade 30 dias após um acidente vascular cerebral e uma redução de 8-12% um ano após essa ocorrência. As evidências demonstram ainda que os hospitais com Enfermeiros qualificados apresentam melhores resultados e menores taxas de mortalidade.

Além disso, o estudo também destaca que os níveis inadequados de dotações seguras potenciam uma menor satisfação no local de trabalho por parte dos Enfermeiros, aliados a um aumento dos níveis de stress e rotatividade como também a uma maior pré-disposição para abandonar a profissão.

Considerando a falta de Enfermeiros a nível global e com o objectivo de reduzir os custos com os salários, tem sido implementada, em diversos países, a substituição destes profissionais por técnicos e auxiliares de saúde. Esta medida tem tido um impacto negativo tanto ao nível da qualidade dos cuidados prestados como também da redução dos custos efectivos.

A declaração de posição do ICN, desenvolvida com a participação de especialistas internacionais e em consulta com a Ordem dos Enfermeiros, estabeleceu um conjunto de princípios e elementos-chave para apoiar todos os envolvidos e assegurar uma clara liderança da Enfermagem nesta questão crucial.

Por conseguinte, o ICN assinala a necessidade das seguintes medidas:

  • Estabelecimento e implementação de sistemas de Dotações Seguras de Enfermagem com base em informações dos pacientes em tempo real
  • Maior financiamento e investimento nos cuidados de saúde tendo em conta os níveis de Dotações Seguras para suprir as necessidades
  • Criação de sistemas eficazes de Dotações Seguras alicerçados na segurança do paciente como na saúde e bem-estar dos profissionais de Enfermagem
  • Consciencialização do público sobre o impacto que os níveis de Dotações Seguras têm nos pacientes, famílias e comunidades;
  • Impedir que outros técnicos e profissionais assumam os actos próprios da profissão de Enfermeiro.
  • Mais investigação relacionada com as Dotações Seguras onde se inclua análises económicas.

Para a Ordem dos Enfermeiros, a revisão da norma de dotações seguras é o principal garante de que cada Enfermeiro tem o tempo necessário para dar resposta às necessidades da pessoa que tem ao seu cuidado de forma plena, segura e com qualidade.

A Norma de Dotações Seguras está a ser revista pela OE, para alargar os Cuidados de Enfermagem Gerais e incluir os Cuidados de Enfermagem Especializados.

Fonte : Ordem dos Enfermeiros

O melhor da PortalEnf...

Assina e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Segue-nos nas redes sociais!

Partilha isto com um amigo