Professores querem fundo para greve – Observador

0 7

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Os professores também querem uma greve financiada através de crowdfunding com fundos criados nas escolas, segundo avança o Diário de Notícias, esta quinta-feira. Ainda assim, Mário Nogueira faz questão de afastar qualquer semelhança com o protesto dos enfermeiros e a greve cirúrgica.

São fundos criados exclusivamente por professores e que já foram usados nas greves às avaliações do ano passado, não há aqui qualquer financiamento externo, não vamos ter de andar a dizer de onde vem o dinheiro. Aliás, nem sequer tem a interferência dos sindicatos.”

Em declarações ao jornal, Mário Nogueira, líder da Fenprof, é peremptório e ironiza, numa alusão à greve dos enfermeiros nos blocos operatórios: “Aqui não temos de andar a explicar de que fontes externas vem o dinheiro”. O financiamento da greve dos professores vem de quotizações entre os professores.

A greve dos professores desta quinta-feira, que se prolonga até sexta-feira, antecede a semana em que será entregue ao Governo de um abaixo-assinado, com mais de 50 mil assinaturas, que continua a servir a luta pela contagem do tempo de serviço dos professores que foi congelado.

Esta paralisação é um ponto de partida para os protestos que vão marcar o setor da educação até ao final do ano letivo e que podem deixar os alunos do 12.º ano sem aulas no terceiro período do ano letivo, se a negociação entre os sindicatos e o Governo não avançar e trouxer à tona novas formas de luta mais radicais.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para [email protected] ou, pessoalmente, para Sónia Simões ([email protected]) ou para João Francisco Gomes ([email protected]);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Fonte: Observador

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina aqui a nossa Newsletter e recebe todas as novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinar. Vais receber um mail... verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo