“Se era necessário um mártir, sou eu” – Presidente do Sindepor

0 20

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor), Carlos Ramalho, anunciou que a partir do 12h desta quarta-feira vai entrar em greve de fome à porta do Palácio de Belém, residência de Marcelo Rebelo de Sousa, até que as negociações sejam retomadas. “Se era necessário um mártir, ele está aqui, sou eu, Carlos Ramalho”, disse em conferência de imprensa.

Perante um ataque sem precedentes que tem sido feito, nós entendemos que tem que haver uma reação sem precedentes, como nunca foi feito neste país. Eu, Carlos Ramalho, presidente do Sindepor, em nome dos enfermeiros, em nome dos trabalhadores, em nome do direito à greve e a uma luta digna como estamos a fazer, amanhã, a partir do 12h, vou para a porta do senhor Presidente da República, para o Palácio de Belém, e vou entrar em greve de fome”, anunciou Carlos Ramalho.

O Sindepor, recorde-se, é o sindicato que anunciou que vai continuar em greve, após ser conhecido o parecer da Procuradoria-Geral da República, que considerou a greve ilícita e mesmo depois de a presidente da Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE), Lúcia Leite, ter pedido que a greve seja suspensa de imediato.

Fonte: Observador

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo