Boris Johnson de volta ao trabalho. “Contenham a vossa impaciência”

0 10

Neil Hall / EPA

O primeiro-ministro, Boris Johnson, está de volta a Downing Street, depois de ter estado infetado com o novo coronavírus

O primeiro-ministro britânico urgiu os britânicos, esta segunda-feira, a “conter a impaciência” ao defender a manutenção do confinamento em vigor para evitar uma segunda vaga de infeções de covid-19.

“Temos de reconhecer o risco de um segundo pico, o risco de perder o controlo deste vírus e deixar que a taxa de contágio volte a subir acima de um. Porque isso significaria, não só uma nova vaga de mortes e doença, mas um desastre económico”, justificou.

O primeiro-ministro pediu ainda aos britânicos para ajudarem o National Health Service (NHS) a salvar vidas ao continuarem a respeitar as medidas de contenção. “Recuso-me a deitar fora todo o sacrifício dos cidadãos. Acredito que estamos a chegar ao fim da crise”, sublinhou, citado pelo jornal online Observador.

Boris Johnson falava à porta da residência oficial, em Downing Street, para onde regressou no domingo depois de duas semanas fora de Londres em convalescença da infeção com covid-19.

O primeiro-ministro voltou hoje ao trabalho, apenas dois dias após o país se ter tornado o quinto a ultrapassar a barreira das 20 mil mortes, depois dos Estados Unidos, Itália, Espanha e França.

De acordo com o balanço de domingo do Ministério da Saúde britânico, o Reino Unido registou 20.732 óbitos e o número total de casos de contágio é agora de 152.840.

O Governo está sob pressão crescente de políticos conservadores para aliviar as medidas de distanciamento social por causa da preocupação com o impacto na economia, e também dos partidos da oposição para publicar o plano para o desconfinamento.

No fim do discurso, Johnson afirmou que pretende “máxima transparência” na forma como as decisões são tomadas e que já existem medidas para a “segunda fase” do surto. “O Reino Unido está a virar a maré“, destacou.

Ler  COVID-19: Número de profissionais infetados sobe para 853

O Executivo tem sido também criticado devido aos problemas em multiplicar a capacidade de testagem, em providenciar equipamento de proteção para os profissionais de saúde e em assistir os lares de idosos.

Johnson, de 55 anos, passou uma semana no Hospital St. Thomas, em Londres, incluindo três noites em cuidados intensivos, onde recebeu oxigénio e necessitou de vigilância médica permanente.

Depois de receber alta a 12 de abril, o primeiro-ministro gravou uma mensagem de vídeo em que reconheceu que esteve em risco de vida, agradecendo aos profissionais de saúde que o assistiram, destacando os enfermeiros português Luis Pitarma e a neo-zelandesa Jenny McGee.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab, enquanto primeiro ministro de Estado, foi designado para substituir Boris Johnson na sua ausência, e o chefe do Governo retirou-se para a casa de campo em Chequers Court, juntamente com a namorada, Carrie Symonds.


Fonte: ZAP

vote
Article Rating
Looks like you have blocked notifications!
0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades e analisar o nosso tráfego. Ao continuar a navegar, está a concordar com a sua utilização. Aceitar Ler mais

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
error: Alert: Content is protected !!
Partilha isto com um amigo