COVID-19: A cronologia das decisões sobre as máscaras de proteção

0 18

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

– Ministra da Saúde portuguesa, Marta Temido, admite ‘stocks’ baixos de máscaras e anuncia compra de um milhão para profissionais de saúde.

15 de março

– Sindicato dos Enfermeiros Portugueses aponta escassez de máscaras disponíveis para estes profissionais, especialmente desde o aumento do número de hospitais de referência para tratar a covid-19.

18 de março

– Governo checo torna obrigatório cobrir boca e nariz em lugares públicos, o primeiro país europeu a fazê-lo.

19 de março

– Autoridade de Segurança Alimentar e Económica fiscaliza farmácias para averiguar denúncias de especulação de preços em material de proteção contra novo coronavírus.

20 de março

– Associação Nacional de Farmácias pede intervenção de autoridades reguladoras para repor acesso a máscaras e desinfetantes por parte das farmácias, que aumentaram preços devido a escassez.

– Ministério do Ambiente e Ação Climática pede a portugueses para deitarem fora máscaras e luvas nos contentores de resíduos indiferenciados e não nos ecopontos.

21 de março

– França anuncia encomenda de 250 milhões de máscaras para fazer face à escassez.

22 de março

– A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, aponta a “falsa sensação de segurança” que as máscaras podem dar aos cidadãos, declarando mesmo que se trata apenas de “um pedaço de tecido na boca” que não confere proteção total, pois o vírus pode passar “com a humidade”.

– Uzbequistão fecha fronteiras e exige aos cidadãos que usem máscaras na rua, com multas para quem não cumprir.

23 de março

– Santa Casa da Misericórdia de Macau doa um milhão de máscaras às suas congéneres portuguesas.

27 de março

– Chegam a Portugal 4,6 milhões de máscaras e outros equipamentos de proteção.

– Diretor do centro chinês para o controlo e prevenção de doenças, Gao Fu, declara à revista Science que “grande erro” dos Estados Unidos e da Europa foi não decretar o uso de máscaras pela população quando pandemia surgiu.

28 de março

– Ministro da Saúde de França, Olivier Véran, anuncia encomenda de mais de mil milhões de máscaras, estimando que o país precise de 40 milhões por semana.

– Nações Unidas doam 250 mil máscaras aos Estados Unidos para serem usadas na cidade de Nova Iorque, fortemente atingida pela pandemia.

29 de março

– Eslovénia confina cidadãos em casa e obriga a uso de máscara em supermercados e outros espaços abertos ao público.

– Primeiro-ministro checo, Andrej Babis, recomenda ao Presidente norte-americano, Donald Trump, que torne obrigatório o uso de máscaras, como fez o seu país.

30 de março

– Governo austríaco torna obrigatório uso de máscara de proteção nos supermercados.

– Responsável do programa de emergências da OMS, Mike Ryan, afirma que há “algumas provas” de que o uso de máscaras generalizado pode ter riscos, indicando que as máscaras mal colocadas podem obrigar a levar mais vezes a mão na cara.

– Ministério da Administração Interna português distribui 30.000 máscaras aos bombeiros.

– Ministério da Justiça distribui 13.900 máscaras em estabelecimentos prisionais e centros educativos e 8.100 ao hospital prisional de Caxias.

31 de março

– OMS alerta que uso de máscara pode dar falso sentimento de segurança e fazer esquecer outras medidas de prevenção, como lavar bem as mãos. Mantém que uso de máscara só é essencial para pessoas com sintomas, profissionais de saúde e cuidadores de doentes em casa.

– Presidente francês, Emmanuel Macron, promete que país irá começar a produzir cerca de 10 milhões de máscaras semanalmente.

01 de abril

– Primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, diz aos cidadãos para usarem máscaras fora de casa

02 de abril

– OMS anuncia que vai reavaliar recomendações sobre uso de máscaras para prevenir contaminação.

– Governo japonês anuncia que cada domicílio receberá duas máscaras de proteção reutilizáveis, totalizando 100 milhões de unidades.

– Ministério da Administração Interna português distribui mais 122.000 máscaras a bombeiros e elementos das forças de segurança.

– Presidente da Câmara de Nova Iorque, Andrew Cuomo, pede a habitantes que cubram a cara quando saem à rua.

03 de abril

– Presidente do Conselho de Escolas Médicas Portuguesas, Fausto Pinto, critica DGS por não recomendar uso generalizado de máscara, apontando que não é verdade que sejam ineficazes, considerando que se trata de “um artifício” porque “não há máscaras suficientes”.

– Diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, afirma que nenhuma medida isolada no combate À covid-19 “é milagrosa” e que uso generalizado de máscara será decidido em alinhamento com recomendações internacionais.

– Secretário de Estado da Saúde português, Lacerda Sales, anuncia que chegarão a Portugal 24 milhões de máscaras em abril e mais 1,8 milhões até final de maio.

– Instituto alemão de prevenção e controlo de doenças Robert Koch revê posição e admite que uso de máscaras faciais em locais públicos, mesmo por pessoas sem sintomas, pode ser eficaz para conter epidemia.

– Investigadores da Academia das Ciências norte-americana afirmam que novo coronavírus também se transmite quando pessoas falam e respiram, concluindo que usar máscaras ou lenços na cara pode minimizar propagação.

– Centro para Controlo e Prevenção de Doenças norte-americano recomenda a toda a população americana que cubra rostos em público com máscaras artesanais, lenços ou trapos para reservar máscaras médicas para profissionais de saúde, devido à escassez.

– Após anunciar estas novas orientações federais, Presidente norte-americano, Donald Trump, afirma que não usará máscara.

– Academia de Medicina francesa recomenda uso obrigatório de máscara como adição lógica às medidas de barreira contra contaminação.

– Comissão Europeia anuncia suspensão temporária de tarifas alfandegárias e IVA sobre importações de equipamento para combater pandemia, incluindo máscaras.

– Norma da DGS alarga recomendação de uso de máscara a outras situações fora das instituições de saúde para pessoas como bombeiros, trabalhadores de limpeza, alfandegários, apoio aos sem-abrigo ou trabalhadores de morgues.

04 de abril

– Diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Ghebreyesus, afirma que organização está a avaliar o potencial uso mais alargado de máscara.

– Ministra da Saúde, Marta Temido, reitera que uso de máscaras, luvas e toucas é aconselhado para profissionais de saúde e pessoas que possam estar em contacto com doentes de covid-19.

– Região italiana da Lombardia, uma das mais atingidas pelo novo coronavírus, exige aos cidadãos uso de máscara de proteção no exterior.

05 de abril

– Ministra da Saúde portuguesa diz em entrevista à RTP1 que DGS pediu parecer sobre uso generalizado de máscaras e foi aconselhada a adotar essa medida, mas não adianta se a recomendação vai ser seguida em Portugal.

– Conselho de Escolas Médicas Portuguesas volta a defender uso generalizado de máscaras pela população para combater pandemia, baseando-se em artigos científicos internacionais.

– Nas contas feitas à exportação de material de proteção para mais de 50 países, a China vendeu desde 01 de março o equivalente a 1,33 mil milhões de euros, incluindo 3,86 mil milhões de máscaras. Milhões de máscaras foram devolvidos por vários países que se queixaram de falta de qualidade.

06 de abril

– Diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, afirma-se alinhada com OMS sobre utilização de máscaras pela generalidade da população. Declara que é preciso “aguardar mais uns dias” para que posição seja revista e que DGS está a analisar pareceres pedidos.

– Ordem dos Médicos defende revisão dos critérios para uso universal de máscaras de proteção pelos profissionais de saúde e população em geral.

– OMS admite alargar uso de máscaras à população em geral em países onde não haja acesso fácil a água para lavagem das mãos ou onde as condições de habitação não permitam salvaguardar o distanciamento físico entre pessoas, frisando que a prioridade deve continuar a ser máscaras para profissionais de saúde, sobretudo devido à escassez de equipamentos de proteção a nível mundial.

07 de abril

– OMS aconselha os países que decidam generalizar o uso de máscaras a avaliarem os riscos.

– República Checa permite circulação no exterior sem máscara para pessoas que pratiquem ciclismo, corrida ou outras atividades desportivas ao ar livre.

– Itália prevê impor o uso generalizado de máscara a par do levantamento de medidas mais restritivas aos movimentos da população.

– Máscaras na rua passam a ser obrigatórias em Marrocos, com penas de prisão entre um e três meses para quem não cumprir.

– Ordem dos Médicos portuguesa manifesta-se favorável a utilização de máscaras de proteção pela população.

08 de abril

– Direção-Geral de Alimentação e Veterinária recomenda a trabalhadores agrícolas que usem máscaras durante o transporte para explorações.

– Autoridades sanitárias da Guiné-Bissau recomendam o uso de máscara para deslocações aos mercados.

– Governo moçambicano torna obrigatório uso de máscaras nos transportes e em aglomerações de pessoas.

09 de abril

– Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças admite uso generalizado de máscaras pela população em locais fechados e com muita gente, apenas como complementar à etiqueta respiratória e distância de segurança.

– Primeiro-ministro, António Costa, afirma que, na reabertura das aulas presenciais dos 11º e 12º anos, alunos e professores usarão máscara de proteção.

– Câmara de Lisboa rejeita, com os votos contra de PS, PCP e BE, uma moção do PSD que recomendava o uso generalizado de máscaras nas situações de “interação social” por quem vive, trabalha e visita a cidade.

10 de abril

– Governo Regional da Madeira anuncia distribuição pela população de máscaras de proteção de uso obrigatório

– Bulgária impõe uso obrigatório de máscara em todos os espaços públicos.

12 de abril

– Sindicato Independente dos Médicos português apoia uso generalizado de máscaras de proteção individuais nos espaços públicos.

13 de abril

– Ministra da Saúde, Marta Temido, afirma que máscaras não cirúrgicas podem ser usadas pela população em espaços fechados e com elevado número de pessoas, como supermercados e transportes públicos.

– Direção-Geral da Saúde admite o uso de máscaras por todas as pessoas que permaneçam em espaços interiores fechados com várias pessoas, como medida de proteção adicional ao distanciamento social, à higiene das mãos e à etiqueta respiratória.

– Forças de segurança espanholas começam a distribuir dez milhões de máscaras às pessoas que viajam em transportes públicos para o trabalho.

14 de abril

– Secretário de Estado da Saúde, Lacerda Sales, revela que mais de 200 empresas manifestaram vontade de produzir “máscaras de utilização comunitária” contra a covid-19 conforme as especificações do Infarmed.

– Presidente do Infarmed, Rui Ivo diz que as máscaras sociais podem ser de algodão ou poliéster e que muitas serão reutilizáveis.

– ONU em Angola apela a uso de máscaras, sobretudo nos musseques, onde distanciamento social é difícil ou quase impossível.

Fonte: Lifestyle Sapo

Gostaste deste artigo? Divulga-nos junto dos teus amigos e colegas!

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo