“Confio na Ciência.” Enfermeira foi a primeira a receber a vacina nos EUA

0 5

Mark Lennihan / EPA

Sandra Lindsay, uma enfermeira de Nova Iorque, foi a primeira a receber a vacina nos EUA

Quando funcionários do Centro Médico Judaico de Long Island, nos Estados Unidos, pediram que voluntários da equipa estivessem entre os primeiros a receber a vacina contra a covid-19, Sandra Lindsay levantou a mão e disse “sim” ao desafio. Em mente, a enfermeira tinha o combate ao ceticismo e entendeu que seria a pessoa indicada para dar o exemplo.

Esta segunda-feira, a enfermeira Sandra Lindsay foi a primeira pessoa a ser vacinada contra a covid-19 nos Estados Unidos, o país mais afetado pela pandemia.

Quando aceitou o desafio de ser uma das primeiras a receber a vacina, a diretora de enfermagem dos cuidados intensivos do Centro Médico Judaico de Long Island disse que queria dar o exemplo – especialmente como uma mulher negra que entende o legado do tratamento médico desigual e racista em pessoas de cor.

“Essa era a meta de hoje. Não para ser a primeira a tomar a vacina, mas para inspirar pessoas que se parecem comigo, que são céticas em relação à vacinação”, disse a enfermeira em entrevista telefónica ao The New York Times.

Nos Estados Unidos, os profissionais de saúde e os residentes em lares de idosos serão os primeiros a receber as vacinas contra a covid-19. De acordo com a agência Lusa, as primeiras de quase três milhões de doses enviadas em lotes fizeram o seu trajeto em camiões a partir da fábrica da Pfizer em Kalamazoo, no Michigan, em direção aos centros de distribuição, onde as autoridades de cada estado determinam o destino de cada dose.

Este processo vai repetir-se semanalmente, quando a entidade reguladora de medicamentos, a Food and Drug Administration (FDA), decidir se dará luz verde à segunda vacina contra a covid-19, produzida pela farmacêutica Moderna.

Ler  COVID-19: Hospitais de Coimbra com baixa incidência de infetados entre os profissionais de saúde

Um dos obstáculos para as autoridades é vacinar rapidamente milhões de pessoas, começando pelos médicos e enfermeiras, mas também por idosos e trabalhadores em lares. Além disso, as reações da vacina configuram uma preocupação para os responsáveis: entre os efeitos adversos, estão a febre temporária, fadiga e dores.

A FDA disse que a vacina da Pfizer/BioNTech parece segura e muito eficaz, mas os especialistas preferem esperar pelos resultados da sua aplicação em massa para ter uma melhor perceção das características do produto.

Espanha prevê vacinação a partir de 4 ou 5 de janeiro

Salvador Illa, ministro da Saúde espanhol, disse esta segunda-feira que a vacinação contra a covid-19 deverá começar a “4 ou 5 de janeiro“, depois de a Agência Europeia do Medicamento aprovar a vacina no dia 29 de dezembro. O governante tranquilizou ainda as comunidades autónomas espanholas dizendo que “haverá vacinas para todos”.

“A chegada das vacinas será progressiva e suficiente. Espanha vai receber 140 milhões de doses” e o país está preparado para que, assim que o medicamento chegue, a população possa ser imunizada “com todas as garantias necessárias”, declarou, numa intervenção num fórum informativo.

A vacinação deverá começar entre o pessoal de saúde, as pessoas que vivem em lares e também as pessoas com deficiências, de acordo com o plano de vacinação aprovado pela União Europeia (UE).

Esta terça-feira, em comunicado, o chefe da UNICEF pediu para que os professores estejam entre os que têm acesso prioritário às vacinas contra a covid-19. “A pandemia de covid-19 causou estragos na educação em todo o mundo. Vacinar professores é um passo crucial para recolocá-la no seu caminho”, afirmou.

Estar entre os primeiros a receber a vacina “ajudaria a proteger os professores do vírus, permitiria que ensinassem presencialmente e, em última análise, manteria as escolas abertas”, lê-se no documento.

Ler  Marcelo foi recebido por protestos de enfermeiros, bolseiros e lesados do BES

O texto refere ainda que “o encerramento de escolas atrapalhou a aprendizagem de quase 90% dos alunos em todo o mundo”. Devemos “fazer tudo o que está ao nosso alcance para salvaguardar o futuro da próxima geração. Isso começa por salvaguardar os responsáveis ​​pela abertura desse futuro”, frisou Fore.

Liliana Malainho, ZAP // Lusa

Fonte: ZAP

vote
Article Rating
Looks like you have blocked notifications!
Queres receber as nossas notificações?
Assina a nossa Newsletter!

Assina e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades e analisar o nosso tráfego. Ao continuar a navegar, está a concordar com a sua utilização. Aceitar Ler mais

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
error: Alert: Content is protected !!
Partilha isto com um amigo