Internamentos em São Miguel merecem “atenção particular”, diz Governo dos Açores

1 min de leitura

“São Miguel, apesar de ter havido um esforço, continua a ter uma situação que exige uma atenção particular. Os números reduziram, mas continua a haver casos todos os dias em vários concelhos, um caso ou outro sem ligação com cadeias identificadas, e temos fundamentalmente um problema: os internamentos”, adiantou o secretário regional da Saúde e Desporto, Clélio Meneses, numa conferência de imprensa, em Angra do Heroísmo.

Com 217 dos 228 casos ativos de infeção por SARS-CoV-2 na região, São Miguel tem três concelhos com mais de 100 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos sete dias: Ribeira Grande, Lagoa e Nordeste.

Clélio Meneses disse que é esperado um “decréscimo de casos positivos na próxima semana”, mas alertou para o número de internamentos.

“No Hospital do Divino Espírito Santo [em Ponta Delgada] temos 19 internados, cinco deles em cuidados intensivos. É uma situação que não pode ser analisada de uma forma superficial. Tem de se ter uma atenção particular com o que se está a passar. Com mais um esforço de uma semana pretendemos que a situação volte àquilo que já foi há uns tempos atrás, no sentido de levantarmos os níveis de risco”, salientou.

Segundo o presidente da Comissão Especial de Acompanhamento da Luta contra a Pandemia nos Açores, Gustavo Tato Borges, o número de novos casos está a “estabilizar” e indica uma “tendência aparentemente decrescente”.

“A situação epidemiológica caminha para uma nova estabilização e para um novo controlo epidemiológico antes do verão”, afirmou.

O presidente da comissão, que é médico especialista em saúde pública, defendeu que os Açores tiveram uma “evolução muito positiva” da Covid-19, acrescentando que são a região do país com “menor taxa de mortalidade”.

Ainda assim, disse que “o aumento de internados é uma situação preocupante” e indica que “haverá mais pessoas doentes, que não estão a recorrer ao serviço de saúde”.

“Quanto mais depressa vierem e forem identificadas, mais depressa teremos toda a situação epidemiológica em São Miguel controlada, sem o risco de novos picos num futuro próximo”, apelou.

Os Açores têm atualmente 228 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus que provoca a doença Covid-19, dos quais 217 em São Miguel, sete na ilha Terceira, três sem Santa Maria e um nas Flores.

Desde o início da pandemia foram diagnosticados na região 4.878 casos, tendo ocorrido 4.498 recuperações e 31 óbitos. Saíram do arquipélago sem terem sido dadas como curadas 78 pessoas e 43 apresentaram comprovativo de cura anterior.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 3.152.646 mortos no mundo, resultantes de mais de 149,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.974 pessoas dos 836.033 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LUSA/HN

Outros artigos com interesse:

Source link

Assina as nossas notificações e fica actualizado

Segue-nos:

Este artigo foi útil? 

	

 

Looks like you have blocked notifications!
91,484Fans
627Seguidores
276seguidores
 seguidores
 Seguidores
89Subscritores
3,417Membros
16,724Assinantes
 Segue o nosso canal
Faz um DonativoFaz um donativo
Queres receber as nossas notificações?
Assina a nossa Newsletter!

Assina e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades e analisar o nosso tráfego. Ao continuar a navegar, está a concordar com a sua utilização. Aceitar Ler mais

Segue-nos
Segue a Tua Comunidade PortalEnf e recebe as Novidades!
Assina a nossa newsletter
Segue-nos
Segue a Tua Comunidade PortalEnf e recebe as Novidades!
ASsina a nossa newsletter
Partilha isto com um amigo