Psoríase é muito mais do que Pele

2 min de leitura

A psoríase é uma doença que afeta entre 250.000 e 300.000 portugueses. É uma doença autoimune, crónica que ainda não tem cura, mas tem tratamento. Como na maioria dos casos se manifesta através da pele, muitas pessoas ainda não têm noção de que tem muitas comorbilidades – doenças associadas, devido à inflamação sistémica deste conjunto de doenças imunomediadas, crónicas, como é o caso da ansiedade/depressão, doenças cardiometabólicas e a artrite psoriática. Esta última é a mais prevalente, devendo o seu diagnóstico ser feito o mais precocemente possível.

A psoríase é uma doença inomumediada, que releva uma inflamação generalizada no organismo que por norma, se manifesta mais na pele, mas também pode atingir as articulações e a componente cardiometabólica. A evolução da doença varia conforme a suscetibilidade individual em se ter a mesma. Pode ser considerada leve, moderada ou grave conforme as zonas corporais onde aparece.

A doença afeta tanto homens como mulheres, de todas as idades, sendo que aparece muitas vezes nos jovens adultos à volta dos 20 anos de idade. Surge frequentemente associada a fatores como o stress de exames, vida profissional, ou devido a diabetes, obesidade,…

O diagnóstico é complicado e demorado e, ainda existem muitos casos de subdiagnóstico. Para um correto diagnóstico e implementação de tratamento adequado, é fundamental fazer-se o histórico clínico do doente, conversar com ele, perceber o seu estilo de vida e comportamentos. Se um doente diz que o tratamento não funciona, devemos tranquilizar o doente, porque hoje em dia já existem estratégias terapêuticas eficientes e seguras para todas as formas de psoríase.

Mais do que Pele
A psoríase pode manifestar-se em vários locais no corpo ao mesmo tempo. Pode manifestar-se na pele, no couro cabeludo, nas extremidades, pregas cutâneas, unhas, genitais, cotovelos, joelhos, nas articulações, entre outros, e pode ainda provocar ansiedade e depressão e estar associado a doenças cardiometabólicas.

As formais mais disseminadas/generalizadas, as localizações e variantes fenotípicas de mais difícil tratamento (couro cabeludo, unhas, inversa / genital, pustulosa palmo-plantar ou generalizada) são preditores clínicos de envolvimento sistémico e impõe atitude diagnóstica e estratégia terapêutica mais assertivas e pró-ativas.

Muitas vezes, o doente até começa por sofrer de artrite e depois é que se descobre que é artrite psoriática, daí a importância da dermatologia, reumatologia e medicina familiar andarem interligadas.

Artrite Psoriática
A artrite psoriática tem muitas vezes um diagnóstico tardio e deve ser detetada e tratada o mais cedo possível, porque a longo prazo pode ser particularmente incapacitante. A artrite costuma manifestar-se por volta dos 30 e os 55 anos, e cerca de 30% de doentes psoriáticos acabam por desenvolver sinais de artrite psoriática.

O acompanhamento médico é fundamental, e é relevante que os doentes alertem os médicos para sinais que apresentam, mesmo que achem que não têm nada a ver com a psoríase. Só assim se consegue um diagnóstico atempado.
Os doentes que apresentam sinais iniciais de rigidez e dor nas articulações, devem ser tratados preferencialmente pela reumatologia, em consulta multidisciplinar com a dermatologia.
Os principais sinais a ter em atenção são: dores nas articulações, inchaço nos dedos e tendões, dificuldade em movimentar-se e realizar as tarefas básicas diárias, alterações nas unhas…

Doenças Cardiometabólicas
Doentes psoriáticos têm maior risco e suscetibilidade ao nível de doenças cardiometabólicas.
O excesso de peso pode piorar a doença e contribuir para o aparecimento de outras doenças, como diabetes, obesidade, hipertensão – 12 a 36% dos doentes psoriáticos sofre de alguma destas doenças. Daí ser fundamental os doentes terem um estilo de vida equilibrado, sem demasiadas restrições, mas com cuidados, nomeadamente ao nível da prática regular de exercício físico. A alimentação também importa e deve ser equilibrada, com consumo de alimentos ricos em antioxidantes e sem gorduras, como os vegetais, frutos vermelhos, entre outros.

Ansiedade e Depressão
A psoríase impacta fortemente a vida de muitos doentes. Cerca de 62% dos doentes psoriáticos em Portugal sofre de ansiedade. O facto de ainda existir muito estigma e preconceito, situações em que os doentes são incompreendidos e julgados, ou simplesmente pelo desconforto que a doença provoca no dia-a-dia, torna a doença um desafio para os doentes. No entanto, há que relembrar que os doentes não estão sozinhos. Podem e devem falar com o médico, com amigos, e até mesmo com um psicólogo.
É importante que a sociedade perceba que procurar ajuda é normal e é essencial.   E agora mais do que nunca, que já se começa a falar mais de saúde mental.
A psoríase é mais do que pele e deve haver a consciência de que é essencial reconhecer os sinais, procurar ajuda e falar com o médico.  

 

Source link

Assina as nossas notificações e fica actualizado

Segue-nos:

Este artigo foi útil? 

	

 

Looks like you have blocked notifications!
91,484Fans
627Seguidores
276seguidores
 seguidores
 Seguidores
89Subscritores
3,419Membros
16,724Assinantes
 Segue o nosso canal
Faz um DonativoFaz um donativo
Queres receber as nossas notificações?
Assina a nossa Newsletter!

Assina e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades e analisar o nosso tráfego. Ao continuar a navegar, está a concordar com a sua utilização. Aceitar Ler mais

Segue-nos
Segue a Tua Comunidade PortalEnf e recebe as Novidades!
Assina a nossa newsletter
Segue-nos
Segue a Tua Comunidade PortalEnf e recebe as Novidades!
ASsina a nossa newsletter
Partilha isto com um amigo