Notícias

Médicos alertam para Unidades de Saúde Pública à beira do colapso

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) disse continuar a expressar “preocupação” com o número excessivo de tarefas e horas de trabalho pelos médicos em saúde pública e alertou para a “escassez de recursos disponíveis” para os casos diários de infeção por covid-19 e tarefas descontextualizadas neste período pandémico.

Segundo a mesma entidade, no concelho de Coimbra, na terça e na quarta-feira, os médicos de saúde pública receberam 824 novos processos para inquérito epidemiológico.

No final do dia de quarta-feira, aguardavam o “primeiro contacto mais de 600 pessoas” que testaram positivo à covid-19.

Neste contexto, a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos tem recebido vários pedidos individuais de exclusão de responsabilidade, visto que os especialistas em saúde pública estão a reportar o funcionamento “anómalo dos serviços, perante tão desgastante trabalho”.

“Os médicos de saúde pública estão no limite. É urgente uma intervenção por parte da Administração Regional de Saúde do Centro e do Ministério da Saúde”, sublinhou o presidente da SRCOM, Carlos Cortes, citado numa nota de imprensa deste organismo.

“Se somarmos a todas as dificuldades de quem vive e trabalha em permanente estado de emergência devido à covid-19 (ao efetuar centenas de horas suplementares, sem direito a tolerâncias de ponto e sem efetivo descanso semanal) é preciso lembrar que os médicos de saúde pública continuam a dar resposta a outras patologias, tais como os casos de doença invasiva pneumocócica, salmoneloses, hepatites, tuberculose, doença dos legionários, etc”, acrescentou.

“É incompreensível como o Ministério da Saúde tenha abandonado, desta forma, estes colegas médicos que continuam a fazer um trabalho inexcedível. Muitos dos novos casos estão a ser contactados com dias de atraso e muitos outros nunca chegarão a receber um contacto da autoridade de saúde. É gravíssimo”, afirmou Carlos Cortes.

Carlos Cortes acrescentou que o trabalho que está a ser exigido, “além de desumano”, não acrescenta uma “mais-valia para combater esta pandemia”.

Relativamente à covid-19, os médicos de saúde pública identificam todos os novos casos, inserem os casos novos em bases de dados elaboradas por eles, realizam inquéritos epidemiológicos, acompanham a evolução do estado de saúde do caso de alto risco, emitem credenciais para testes, entre outras tarefas.

Cortes disse ainda que a situação no agrupamento de centro de saúde do Baixo Mondego é “muito complexa”, já que, “desde há um ano, já se reformaram médicos especialistas de saúde pública, outros rescindiram contrato, e nos últimos meses, diminuíram as ajudas por parte dos médicos de formação geral e por parte dos estudantes de enfermagem e medicina que em janeiro e fevereiro de 2021 estiveram a colaborar com as equipas de saúde pública”.

Fonte: Lifestyle Sapo

Looks like you have blocked notifications!
93,875Fans
627Seguidores
276seguidores
6,774seguidores
3,579Seguidores
94Subscritores
3,369Membros
15,245Assinantes
 Segue o nosso canal
Faz um DonativoFaz um donativo
Pub

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Permainan judi slot online terbaik

Adblock Detectado

Por favor, considere apoiar o nosso site desligando o seu ad blocker.
Partilha isto com um amigo
pasaran togel