You dont have javascript enabled! Please enable it!
Atualidade

Quase metade das empresas de restauração com quebras acima de 40% em janeiro

De acordo com o mais recente inquérito da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), “o ano 2022 começou pior que 2021 para as empresas da restauração, similares e do alojamento turístico”: “Após dois anos de pandemia, com várias restrições à atividade, ao sobreendividamento das empresas juntam-se, agora, os aumentos de preços de energias, combustíveis e de matérias-primas”, sustenta.

Face a esta “tempestade perfeita”, a associação reclama que o Governo avance com um “plano de ação para garantir a viabilidade das empresas” do setor.

Falando de um “cenário ainda muito dramático” para a atividade, a AHRESP diz que as quebras na faturação “resultam, em muito, dos efeitos diretos do pico da quinta vaga da pandemia”.

De acordo com o inquérito, 78% das empresas de restauração e similares e 37% das empresas de alojamento já tinham tido trabalhadores infetados e 51% e 19%, respetivamente, tiveram mesmo de encerrar por um período nunca inferior a sete dias por esse motivo.

“Em consequência deste ambiente – salienta a AHRESP – o inquérito revelou, de novo, um aumento das intenções de insolvência, chegando mesmo a duplicar nas empresas de restauração”: “Hoje, 31% das empresas de restauração e similares ponderam mesmo encerrar definitivamente. A situação é menos gravosa no alojamento, com 8% das empresas a referirem esta intenção”, enfatiza.

A associação nota ainda que “uma das preocupações sentidas nos últimos tempos tem sido a notória dificuldade de contratação de profissionais para estes setores”, com 90% das empresas de restauração que tiveram necessidade em contratar novos colaboradores a referirem “fortes dificuldades” em consegui-lo, sobretudo para as funções de profissional de cozinha e de mesa/balcão.

Estas dificuldades registaram-se também no alojamento, com o inquérito a evidenciar que 78% das empresas sentiram dificuldades na contratação, especialmente para as funções de limpeza, cozinha e receção.

“Muito relevante” ainda é, para a associação, o facto de 52% das empresas da restauração e 28% do alojamento referirem que tiveram de adiar investimentos por terem dificuldades em contratar recursos humanos.

Analisando com mais detalhe os resultados do inquérito, verifica-se que em janeiro deste ano 43% das empresas registaram quebras de faturação acima dos 40% face a janeiro de 2021 e para o mês de fevereiro, 26% das empresas estimam registar quebras de faturação acima dos 50%, face a fevereiro 2021.

Em fevereiro de 2022, face às estimativas de faturação, 41% das empresas referiram que não irão conseguir suportar os encargos habituais (pessoal, energia, fornecedores e outros) e 31% das empresas ponderam avançar para insolvência, caso não consigam suportar todos os encargos.

Para as empresas de restauração, as três medidas prioritárias para o relançamento da economia são a aplicação temporária da taxa reduzida de IVA nos serviços de alimentação e bebidas (85%), os apoios a fundo perdido para a tesouraria e redução do endividamento das empresas (66%) e a redução do IRC (43%).

No setor do alojamento turístico, 29% das empresas registaram em janeiro quebras de faturação acima dos 60% face a janeiro de 2021 e, em fevereiro, 26% das empresas estimam registar quebras de faturação acima dos 50% face a fevereiro 2021.

Em fevereiro de 2022, face às estimativas de faturação, 20% das empresas afirmam que não irão conseguir suportar os encargos habituais (pessoal, energia, fornecedores e outros) e 8% pondera avançar para insolvência.

Em janeiro, 32% das empresas não registaram qualquer taxa de ocupação e 21% indicaram uma ocupação até 10%, sendo que 24% das empresas indicaram que a taxa de ocupação de janeiro deste ano foi inferior em mais de 60% face a janeiro 2021.

Considerando as reservas já confirmadas para fevereiro, março e abril, os principais mercados emissores serão Portugal (referido por 60% das empresas), Espanha (43%), França (32%) e Alemanha (31%).

Questionadas sobre o que seriam as três medidas prioritárias para o relançamento da economia, as empresas de alojamento destacaram a redução do IRC (52%), apoios a fundo perdido para a tesouraria e redução do endividamento das empresas (50%) e mecanismos financeiros para novos investimentos e requalificação das empresas (42%).

LUSA/HN

Outros artigos com interesse:

Source link

Segue a PortaLEnf: Follow on FacebookTweet about this on TwitterFollow on LinkedIn
0 0 votes
Article Rating
Looks like you have blocked notifications!

Pub

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Artigos Relacionados

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao Topo
';
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Permainan judi slot online terbaik

error: Alert: Content is protected !!
Partilha isto com um amigo
pasaran togel