You dont have javascript enabled! Please enable it!
Atualidade

Autonomia financeira trouxe novas competências e desafios ao Laboratório Nacional do Medicamento

Veio substituir o antigo laboratório militar de produtos químicos e farmacêuticos, em 2021, ganhou novas competências e, com um investimento que ronda os 1,85 milhões de euros, novos meios e instalações renovadas. Mas manteve uma missão: o abastecimento sanitário das forças armadas.

“Mantém-se, de facto, aquela missão primária que o laboratório militar tinha que era o abastecimento sanitário às forças militares do Exército. Mas, neste momento, foi alargado a todas as forças armadas e todos os sistemas de saúde das Forças Armadas”, explicou à Manuel António Ramalho da Silva, à frente da instituição desde o ano passado, altura em que o laboratório ganhou autonomia financeira e administrativa.

Lembrou que a alteração trouxe ao Laboratório Nacional do Medicamento novas competências e novos meios, mas também novos desafios: “o que se pretende é, de facto, o apoio ao Ministério da Defesa, mas também ao Ministério da Saúde”.

Entre as novas competências está o alargamento de algumas atribuições para a produção de medicamentos para os hospitais do Serviço Nacional de Saúde.

O laboratório gere igualmente a reserva estratégica de medicamentos e dispositivos médicos, que serve para responder a situações de catástrofe e para quando há escassez de medicamentos ou dispositivos médicos no mercado, “seja porque a indústria deixa de produzir estes medicamentos ou porque há uma procura aguda desses produtos”, explicou.

Entre as competências alargadas, o responsável apontou a intenção de dar maior desenvolvimento a programas específicos do Serviço Nacional de Saúde e o acordo com o Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD) para a produção de metadona. Toda a que é usada no programa de substituição é produzida pelos técnicos e máquinas deste laboratório. São três milhões de carteiras por ano.

Como não entra na lógica da concorrência com a indústria farmacêutica, tanto produz medicamentos para uma ou duas pessoas, como para milhares: “Produzimos a pedido, e em colaboração com os hospitais do SNS, antídotos para intoxicações e, nalguns casos, também produzimos aquilo que se entende por medicamentos órfãos e medicamentos para doenças raras, sempre em solicitação”.

“Nestes casos são quase medicamentos específicos para cada indivíduo”, explicou à Lusa o coronel farmacêutico, enquanto apresentava salas da unidade de produção, muitas em obras.

Aliás, para conseguir gerir a produção e ir melhorando as instalações, optou-se por uma produção em massa de algumas substâncias, para que não faltassem, como é o caso da metadona, agora embalada em caixas que garantirão três a quatro meses de fornecimento, enquanto as obras decorrem.

Mas nem tudo parou. Por exemplo, manteve-se a produção de lactato de magnésio, na mesma área onde também se produz um antibiótico para a tuberculose (isoniazida).

Aliás, é o único laboratório nacional a produzi-lo, numa altura em que a Direção Geral da Saúde já definiu como prioritárias para os refugiados da guerra na Ucrânia que chegam a Portugal as vacinas contra a tuberculose, sarampo e poliomielite.

Mas não são só antibióticos para humanos que o laboratório garante, pois um protocolo com o Jardim Zoológico de Lisboa veio garantir um antibiótico para uma doença específica dos pinguins.

Às competências novas, o diretor do laboratório disse que correspondeu um esforço por parte do exército para novos meios: “Houve um esforço de parte do Exército na colocação de mais militares e de mais funcionários civis, nomeadamente farmacêuticos e técnicos especializados, como técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica”.

No total são 111 pessoas, entre militares e civis, que garantem o funcionamento deste laboratório, que em 2018 ganhou um biobanco, com amostras de sangue de todos os militares nas forças destacadas.

“Esperemos que nunca seja preciso, mas se houver um acidente e dificuldade em reconhecer o corpo, com este registo garantimos a identificação”, contou o responsável pela direção de Saúde Pública do laboratório, Eduardo Carvalho.

O responsável por este departamento, que em plena pandemia chegou a receber solicitações e enviar equipas a empresas para testagem em massa de funcionários, contou ainda que se pretende alargar a todo o Exército a recolha de amostras. Até hoje tem o equivalente a 2.000 picadas no dedo.

LUSA/HN

Outros artigos com interesse:

Source link

Segue a PortaLEnf: Follow on FacebookTweet about this on TwitterFollow on LinkedIn
0 0 votes
Article Rating
Looks like you have blocked notifications!

Pub

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Artigos Relacionados

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao Topo
';
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Permainan judi slot online terbaik

error: Alert: Content is protected !!
Partilha isto com um amigo
pasaran togel