You dont have javascript enabled! Please enable it!
Atualidade

STAL considera que descentralização agrava desigualdades e defende regionalização

No dia em que o Governo considera transferidas para os municípios competências nas áreas da Educação e da Saúde, o STAL referiu, em comunicado, que a descentralização nestas áreas essenciais “é o contrário de uma verdadeira descentralização, a qual implica aproximar os recursos, os serviços, o poder e a decisão das populações”.

O sindicato que representa os trabalhadores das autarquias defendeu que, em contrapartida, é preciso criar regiões administrativas, “sem as quais não é possível combater as assimetrias de desenvolvimento”, realizar “um verdadeiro e efetivo processo de descentralização, que passa inevitavelmente pela defesa da universalidade das funções sociais do Estado como condição de igualdade dos cidadãos”.

Segundo o STAL, a descentralização que está em curso “não garante os meios humanos, manifestamente insuficientes, nem os recursos financeiros, igualmente escassos, nem confere mais autonomia na condução das políticas”, quando são necessários “a melhoria dos serviços, a universalidade dos direitos fundamentais, a adequação dos meios às necessidades, a estabilidade de financiamento, e o respeito e a valorização dos direitos dos trabalhadores”.

O STAL considerou ainda que “uma boa parte” dos municípios não está “preparada para lidar com um elevado número de novas competências e o seu desempenho”, numa altura em que a Covid-19 e agora as consequências da guerra na Ucrânia têm “impactos brutais” nas autarquias, abrindo “caminho à degradação do que hoje funciona bem e à privatização com os resultados que se conhecem: serviços piores e mais caros, degradação das condições de trabalho”.

O Governo considera transferidas para os municípios competências na Educação e na Saúde a partir de hoje, apesar dos pedidos de adiamento do prazo por autarcas que entendem serem insuficientes as verbas atribuídas.

Segundo os números mais recentes publicados pelo Governo, aceitaram voluntariamente competências na Educação pelo menos 45% dos municípios (127 de 278 possíveis) e na Saúde pelo menos 28% (57 dos 201 municípios que podem assumir competências nesta área).

No âmbito deste processo, o Governo pretende transferir competências para as Câmaras em 20 áreas.

Depois da Educação e da Saúde, fica a faltar a transferência de competências na área da Ação Social, que os municípios podem aceitar voluntariamente até ao fim deste ano.

A descentralização de competências em curso só se aplica nos 278 municípios de Portugal continental.

LUSA/HN

Outros artigos com interesse:

Source link

Segue a PortaLEnf: Follow on FacebookTweet about this on TwitterFollow on LinkedIn
0 0 votes
Article Rating
Looks like you have blocked notifications!

Pub

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Artigos Relacionados

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao Topo
';
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Permainan judi slot online terbaik

error: Alert: Content is protected !!
Partilha isto com um amigo
pasaran togel