Notícias

Técnicos auxiliares de saúde pedem retoma de negociações para criar carreira

O presidente da APTAS, João Fael, disse à Lusa que a associação terminou na quarta-feira a ronda por todos os grupos parlamentares, depois de ter sido recebida já este mês também pelo Presidente da República, a quem pediu uma promulgação rápida do diploma.

“As negociações estavam para começar na segunda quinzena de setembro e ficaram adiadas com a mudança na tutela da Saúde”, explicou o responsável, que considera ainda possível concluir a criação da carreira até final do ano uma vez que “a maior parte do trabalho foi feito na anterior legislatura, mas depois caiu o Governo”.

João Fael disse que na anterior legislatura o grupo de trabalho “ouviu muitas entidades, ordens profissionais, sindicatos, a Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares e outras entidades. E esse trabalho é aproveitado, não é deitado fora”.

“Estou convencido de que o que falta é acertar a parte sempre difícil das tabelas remuneratórias de quem efetivamente entrará para a carreira”, afirmou.

Pub

João Fael disse que já foi pedida uma reunião com a nova equipa do Ministério da Saúde, que aguarda resposta.

A APTAS pretende que a criação da carreira de técnico auxiliar de saúde seja alocada nas carreiras de assistentes técnicos e que não fique no âmbito da categoria de assistentes operacionais.

“Como estamos inseridos numa categoria que não existe, de assistentes operacionais, e nas carreiras gerais, uma pessoa que trabalhe na oficina do hospital também é assistente operacional”, explicou, sublinhando que estes técnicos querem ficar integrados nas carreiras especiais da saúde – como os médicos e enfermeiros -, tal como estavam até 2008, ano em que passaram para as carreiras gerais do Estado.

O presidente da APTAS admitiu a possibilidade de “faseamento de entrada destes assistentes”, sublinhando que “o primeiro-ministro foi muito claro quando disse, [a propósito] da criação de técnico auxiliar de saúde, que só iriam entrar as pessoas e os profissionais que estivessem a trabalhar diretamente com os utentes e com os doentes”.

Pub

No final de junho, num debate parlamentar, o primeiro-ministro, António Costa, assegurou que a criação de carreira de técnico auxiliar de saúde está prevista no Orçamento do Estado para 2022.

João Fael lembrou ainda que estes profissionais de saúde – que no Serviço Nacional de Saúde (SNS) são cerca de 28.000 – foram “a categoria mais infetada com covid-19″, sobretudo por causa da falta de formação.

“Muitas pessoas, nesta fase, que estavam desempregadas, foram recrutadas para tarefas sem a mínima formação. E nós queremos que entrem pessoas nesta profissão com a devida formação e certificação, pois é um trabalho de grande responsabilidade”, afirmou.

Além dos cerca de 28.000 que trabalham no SNS, há ainda os dos setores privado e social, num total que ronda os 150.000 em todo o sistema de saúde.

Fonte: Lifestyle Sapo

Looks like you have blocked notifications!

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Permainan judi slot online terbaik

Keuntungan Bermain Di Situs Judi Bola Terpercaya Resmi
error: Alert: Conteúdo protegido !!