Notícias

O sarampo é a doença infecciosa mais conhecida pela ciência. Os adultos devem considerar tomar outra vacina MMR

sarampo

Uma micrografia eletrônica do vírus do sarampo. Crédito: CDC/ Cortesia de Cynthia S. Goldsmith

Imagine uma doença mais infecciosa do que qualquer outra conhecida pela ciência médica, que mataria 2,6 milhões de crianças todos os anos e deixaria outros milhões com surdez e até danos cerebrais. Parece algo saído de uma ficção de terror pandêmico, mas essa doença existe – o sarampo.

No entanto, até o sarampo foi controlado em todo o mundo, pelo menos por algum tempo. No rescaldo da erradicação bem sucedida da varíola na década de 1970, um esforço global de vacinação semelhante reduziu a mortalidade por sarampo de 2,6 milhões em 1980 para 73.000 em 2014.

O número R do sarampo (o número médio de pessoas que alguém com o vírus infectará) de 15 ou mais coloca até mesmo as variantes mais galopantes do SARS-CoV-2 na sombra. Devido a esta infecciosidade, nunca foi possível conseguir a erradicação, mas muitos países foram declarados livres do sarampo pela Organização Mundial de Saúde.

Essa conquista não é necessariamente permanente, no entanto. O Reino Unido foi considerado livre do sarampo em 2016, mas perdeu o seu estatuto apenas dois anos depois. E agora há um número crescente de casos em toda a Inglaterra, com surtos significativos em Londres e nas Midlands Ocidentais.

A principal arma na guerra contra o sarampo tem sido a vacina MMR, lançada em 1971, que também proporciona imunidade contra a papeira e a rubéola – dois outros vírus com efeitos potencialmente desagradáveis ​​a longo prazo.

A implantação global da MMR foi talvez o maior triunfo de saúde pública do último quartel do século XX, salvando pelo menos 56 milhões de vidas, segundo estimativas da OMS.

Até que, em 1998, um obstáculo foi lançado quando alegações espúrias foram feitas no The Lancet sobre uma ligação entre a vacina MMR e o autismo. Em 2010, o artigo foi retirado pela revista e seu principal autor, Andrew Wakefield, foi afastado da prática da medicina no Reino Unido. Mas a essa altura o estrago já estava feito.

Apesar de numerosos estudos confirmarem a eficácia e a segurança da MMR, e não terem conseguido encontrar qualquer ligação com o autismo, muitas pessoas começaram a repensar a questão de trazer os seus filhos para vacinação. A hesitação em vacinar-se instalou-se e o sarampo começou o seu regresso insidioso, com as mortes globais a subirem para 136.000 em 2022.

Hesitação vacinal e desinformação

A hesitação vacinal, embora não seja novidade, tornou-se um problema tão grande para os serviços de saúde pública que é objecto de intenso interesse de investigação.

E não são apenas histórias assustadoras sobre autismo. Estudos revelaram toda a complexidade do problema – que não existe um factor único partilhado pelas pessoas que hesitam em vacinar-se e, portanto, não existe uma estratégia educacional pública óbvia e fácil para resolver o problema.

Aqueles que são menos instruídos têm tendência à hesitação – mas o mesmo acontece com aqueles que são altamente qualificados em termos educacionais. Da mesma forma, aqueles que têm convicções religiosas profundas, mas também aqueles que são militantemente anti-religiosos, aqueles que desconfiam do Estado-babá, aqueles que desconfiam do capitalismo e particularmente da indústria farmacêutica, os mais pobres da sociedade e os mais ricos – todos estes grupos mostram níveis elevados de hesitação em vacinar, mas muitas vezes têm pouco mais em comum.

Em contraste, uma pessoa de classe média, de renda média, com educação razoável e com crenças religiosas fracas tem maior probabilidade de ser encontrada na fila do posto de vacinação. Ainda não sabemos realmente porquê.

A hesitação vacinal é agora um problema para todos os programas de vacinação, mas particularmente para o sarampo, uma vez que o seu R de 15 ou mais significa que qualquer queda na cobertura vacinal resultará num rápido aumento de casos.

Quando a cobertura vacinal se torna localmente baixa, podem ocorrer epidemias locais de gravidade considerável. Muitos países perderam agora o estatuto de país livre do sarampo, conquistado com dificuldade, na Europa, incluindo a Albânia, a República Checa e a Grécia, bem como no Reino Unido.

Mas há uma coisa que todos podemos fazer para ajudar – e se vive no Reino Unido, o NHS pode ajudá-lo.

MMR não é apenas para crianças

Mesmo que um adulto tenha recebido MMR quando criança ou tenha sobrevivido a um ataque de sarampo nos dias anteriores à vacinação, a sua imunidade pode diminuir. Embora o risco de um segundo ataque suficientemente grave para produzir os sintomas observados em crianças desprotegidas seja muito pequeno, a MMR em adultos ainda vale a pena, pois vai além de apenas proteger a pessoa que recebe a vacinação.

Ao reforçar a imunidade dos adultos contra estes três vírus, diminui a probabilidade de uma infecção assintomática e evita que um adulto se torne portador involuntário. A MMR em adultos pode ajudar a restaurar parte da imunidade coletiva que foi perdida devido à hesitação vacinal.

Os bebés com menos de um ano de idade não podem receber MMR, pelo que são os mais vulneráveis. A opção pela MMR para adultos ajuda a proteger os bebés do sarampo e ajuda a prevenir a rubéola em mulheres grávidas e nos seus bebés.

E se você for um homem de certa idade, optar pelo MMR adulto também protege você pessoalmente contra a orquite – a temida inflamação dos testículos que é um sintoma da caxumba em homens maduros.

Seria uma tragédia para o mundo regressar aos dias de epidemias descontroladas de sarampo devido à hesitação sustentada da vacinação em relação à MMR. Vamos fazer com que a imunidade coletiva contra o sarampo volte ao nível que deveria estar, escolhendo a vacina MMR para adultos.

Fornecido por A Conversa

Este artigo foi republicado de The Conversation sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.A conversa

Citação: O sarampo é a doença infecciosa mais conhecida pela ciência. Os adultos devem considerar tomar outra vacina MMR (2024, 20 de janeiro) recuperada em 20 de janeiro de 2024 em https://medicalxpress.com/news/2024-01-measles-infectious-disease-science-adults.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma parte pode ser reproduzida sem permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Looks like you have blocked notifications!

Comenta no Facebook

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
Keuntungan Bermain Di Situs Judi Bola Terpercaya Resmi slot server jepang
error: Alert: Conteúdo protegido !!
Send this to a friend