Notícias

Os testes rápidos COVID-19 ainda funcionam contra novas variantes – os pesquisadores continuam ‘testando os testes’ e eles passam

variante cobiçosa

Crédito: Pixabay/CC0 Domínio Público

Em Setembro de 2020, apenas seis meses após a COVID-19 ter desencadeado encerramentos nos EUA, ficou claro que o SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19, tinha sofrido uma mutação na sua forma original.

Surgiu rapidamente a questão de saber se os testes rápidos de antigénio existentes poderiam detectar novas variantes emergentes.

Utilizando amostras clínicas obtidas de laboratórios de diagnóstico nos EUA entre 2020 e 2023, os Institutos Nacionais de Saúde, através da sua Força-Tarefa de Variantes, analisaram a eficácia de mais de 100 kits de teste rápido de antígeno em mais de 300 variantes. A grande maioria dos kits foi capaz de detectar variantes novas e previamente conhecidas.

Somos uma equipe de pesquisadores que passou os últimos anos pesquisando os testes COVID-19 quanto à sua precisão e desempenho. Compreendemos porque é que o público ainda pode ter dúvidas sobre se estes testes são fiáveis, especialmente à medida que novas variantes continuam a aparecer.

Aqui estão as respostas para algumas dessas perguntas:

Esses testes funcionam?

Existem dois tipos principais de testes para detecção do SARS-CoV-2.

O primeiro, denominado teste RT-PCR, tem mais de 95% de precisão na detecção do vírus. Esses foram os testes que a maioria dos americanos fez em locais de teste drive-through e walk-in no início da pandemia. A grande maioria é agora realizada num consultório médico ou numa clínica, embora existam alguns testes PCR caseiros, que normalmente custam cinco a 10 vezes mais do que os testes rápidos de antigénio.

O outro tipo é um teste de antígeno, comumente conhecido como teste rápido, com taxa de precisão superior a 80%. A maioria desses testes é vendida sem receita em supermercados e farmácias.

Os testes rápidos de antígeno são relativamente baratos, podem ser usados ​​sem treinamento prévio e fornecem resultados rápidos, normalmente em 10 ou 15 minutos. Uma desvantagem é que eles são menos precisos que os testes PCR, especialmente no início de uma infecção, quando há menos vírus presentes no corpo.

Apesar destas limitações inerentes, a nossa equipa demonstrou que estes testes têm um desempenho tão bom em 2024 como no início da pandemia, quando diferentes variantes estavam a circular – embora o nosso estudo inicial tenha sido concluído em Janeiro de 2022. Isto porque a proteína do vírus detectada pelo antigénio Os testes não mudaram muito nos últimos dois anos, ao contrário de outras partes do vírus que sofreram muitas mutações. Outro estudo, que testou a precisão dos testes rápidos de antígenos de 2020 a 2022, encontrou resultados semelhantes.

Dito isto, investigadores como nós continuam a “testar os testes”, tanto em simulações computacionais como em laboratório, para detectar novas variantes do SARS-CoV-2.

Eu tenho sintomas. Quando devo fazer um teste?






No início de março de 2024, a variante JN.1 era responsável por quase todos os casos de COVID-19 em todo o país.

Se tiver sintomas, faça um teste rápido o mais rápido possível. Se o seu teste for positivo, você pode ter certeza razoável de que está infectado. Se for negativo, espere dois dias e teste novamente.

Este período de espera é importante porque leva alguns dias para que o vírus atinja níveis detectáveis ​​pelo teste rápido. Uma pesquisa recente mostrou que o tempo que leva para que isso aconteça é um pouco mais longo com a família de variantes omicron em comparação com variantes de alguns anos atrás.

Fui exposto, mas não tenho sintomas. Quando devo testar?

Se você foi exposto a alguém, mas não apresenta sintomas, a recomendação atual é esperar de quatro a cinco dias antes de fazer um teste rápido. Se for negativo, espere dois dias e teste novamente.

Se o resultado ainda for negativo, faça um terceiro teste mais dois dias depois. Esta é a melhor maneira de detectar a infecção por COVID-19 sem sintomas.

Também é recomendável que você faça um teste rápido o mais próximo possível do momento em que visitar alguém que corre risco de adoecer, especialmente se achar que pode ter sido exposto.

Quando sou contagioso?

A maioria das pessoas que apresentam sintomas e testam positivo são contagiosas. Se você não tiver mais sintomas e não tiver mais resultados positivos, é provável que não seja contagioso.

Mas existem algumas exceções a esta regra geral. É possível estar infectado, não apresentar sintomas e ser contagioso. Isto é especialmente verdadeiro no início da infecção de uma pessoa.

Devo esfregar meu nariz ou garganta?

O melhor conselho é seguir as instruções que acompanham o teste. Para testes de antígeno nos EUA, isso significa fazer uma coleta no nariz.

Embora um estudo realizado na Dinamarca tenha relatado que os testes de antigénio eram mais sensíveis quando um prestador de cuidados de saúde esfregava a garganta, o mesmo estudo afirmava que quando uma pessoa esfregava a si própria, as amostras do nariz eram mais precisas do que as amostras da garganta. Outros estudos mostraram que esfregar a garganta não era melhor do que esfregar o nariz.

Um novo programa financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde e lançado no final de 2023 – o estudo Home Test to Treat – oferece testes gratuitos, telessaúde e tratamento para a COVID-19 e a gripe sem sair de casa. Até o momento, mais de 60.000 pessoas se inscreveram. O estudo utiliza testes rápidos disponíveis comercialmente e normalmente chegam alguns dias depois de serem solicitados.

Para os milhões de americanos que não podem viajar, não têm seguro, não vivem perto de uma clínica ou simplesmente não querem expor outras pessoas aos seus sintomas, este novo programa poderá ajudar a salvar vidas.

Fornecido por A Conversa

Este artigo foi republicado de The Conversation sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.A conversa

Citação: Os testes rápidos COVID-19 ainda funcionam contra novas variantes – os pesquisadores continuam ‘testando os testes’ e eles passam (2024, 2 de março) recuperado em 3 de março de 2024 em https://medicalxpress.com/news/2024-03-covid- variantes rápidas.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma parte pode ser reproduzida sem permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.

Looks like you have blocked notifications!

Segue as Notícias da Comunidade PortalEnf e fica atualizado.(clica aqui)

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
Keuntungan Bermain Di Situs Judi Bola Terpercaya Resmi slot server jepang
Send this to a friend