Notícias

Para cada aumento de 10% no tipo de bactéria no intestino, o risco de hospitalização por infecção cai até um quarto

Estudo: Para cada aumento de 10% no tipo de bactéria no intestino, o risco de hospitalização por infecção cai até um quarto

A colonização por bactérias produtoras de butirato está associada à proteção contra infecções graves. Crédito: R. Kullberg et al

Um estudo realizado em duas grandes coortes de pacientes europeus descobriu que, por cada 10% de aumento de bactérias produtoras de butirato no intestino de um paciente, o risco de hospitalização por qualquer infecção diminui entre 14 e 25% em duas grandes coortes nacionais. O estudo será apresentado no Congresso Europeu de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas deste ano (ECCMID 2024) em Barcelona, ​​Espanha (27 a 30 de abril).

Alterações da microbiota são comuns em pacientes hospitalizados por infecções graves e modelos pré-clínicos demonstraram que bactérias intestinais produtoras de butirato anaeróbico protegem contra infecções sistêmicas. Essas bactérias foram investigadas porque são comumente esgotadas em pacientes hospitalizados por infecções graves. Em segundo lugar, o butirato pode ter efeitos protetores em diversas doenças intestinais (além de infecções).

A relação entre perturbações da microbiota e aumento da susceptibilidade a infecções graves em humanos permanece obscura. Neste estudo, os autores investigaram a relação entre a microbiota intestinal basal e o risco de futura hospitalização relacionada com infecções em duas grandes coortes populacionais – dos Países Baixos (derivação; HELIUS) e da Finlândia (validação; FINRISK 2002).

A microbiota intestinal foi caracterizada pelo sequenciamento do DNA das bactérias para identificar os diferentes tipos de bactérias presentes nas amostras fecais dos participantes. Os autores mediram a composição da microbiota, a diversidade e a abundância relativa de bactérias produtoras de butirato.

O desfecho primário foi hospitalização ou mortalidade por qualquer doença infecciosa durante o acompanhamento de cinco a sete anos após a coleta de amostra fecal, com base em dados de registro nacional. Os autores examinaram então as associações entre a microbiota e o risco de infecção usando modelagem computacional. Modelagem estatística adicional foi usada para ajustar variáveis, incluindo dados demográficos, estilo de vida, exposição a antibióticos e comorbidades.

Os pesquisadores, liderados por Robert Kullberg, do Centro Médico da Universidade de Amsterdã, Holanda, traçaram o perfil da microbiota intestinal de 10.699 participantes (4.248 da Holanda e 6.451 da Finlândia. Um total de 602 participantes (Holanda: n=152; Finlândia: n=450). ) foram hospitalizados ou morreram devido a infecções (principalmente pneumonia adquirida na comunidade) durante o acompanhamento.

A composição da microbiota intestinal destes participantes hospitalizados/falecidos diferiu daqueles sem hospitalização por infecções. Especificamente, cada abundância 10% maior de bactérias produtoras de butirato foi associada a um risco reduzido de hospitalização por infecções – 25% menor para os participantes da coorte holandesa e 14% menor para a coorte finlandesa. Todos os tipos de infecções foram avaliados em conjunto, e nenhuma em particular. Essas associações permaneceram inalteradas após ajustes demográficos, estilo de vida, exposição a antibióticos e comorbidades.

Os autores afirmam: “A composição do microbioma intestinal, especificamente a colonização por bactérias produtoras de butirato, está associada à proteção contra a hospitalização por doenças infecciosas na população em geral em duas coortes europeias independentes. Mais estudos devem investigar se a modulação do microbioma pode reduzir o risco de infecções graves.”

Os autores dizem que serão necessárias mais análises antes que os exames nos pacientes possam começar. Um dos desafios é que as bactérias produtoras de butirato são estritamente anaeróbicas (o que significa que respiram sem usar oxigênio e não toleram oxigênio), o que torna muito difícil o transporte de bactérias viáveis ​​para o intestino. Vários grupos de pesquisa estão trabalhando para enfrentar esses desafios.

Mais Informações:
Impacto da microbiota intestinal produtora de butirato no risco de hospitalização por doenças infecciosas: resultados de duas grandes coortes populacionais

Fornecido pela Sociedade Europeia de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas

Citação: Estudo: Para cada aumento de 10% no tipo de bactéria no intestino, o risco de hospitalização por infecção cai em até um quarto (2024, 22 de março) recuperado em 22 de março de 2024 em https://medicalxpress.com/news/2024-03 -bactérias-intestino-hospitalização-infecção-quedas.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma parte pode ser reproduzida sem permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.

Looks like you have blocked notifications!

Segue as Notícias da Comunidade PortalEnf e fica atualizado.(clica aqui)

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Keuntungan Bermain Di Situs Judi Bola Terpercaya Resmi slot server jepang