Notícias

Qual é a diferença entre autismo e transtorno de Asperger?

autismo

Crédito: Unsplash/CC0 Domínio Público

A ativista climática sueca Greta Thunberg se descreve como tendo Asperger, enquanto outras pessoas no espectro do autismo, como a comediante australiana Hannah Gatsby, se descrevem como “autistas”. Mas qual é a diferença?

Hoje, os diagnósticos anteriores de “transtorno de Asperger” e “transtorno autista” se enquadram no diagnóstico de transtorno do espectro do autismo, ou TEA.

O autismo descreve um “neurótipo” – o estilo de pensamento e de processamento de informações de uma pessoa. O autismo é uma das formas de diversidade no pensamento humano, que traz pontos fortes e desafios.

Quando esses desafios se tornam esmagadores e impactam a forma como uma pessoa aprende, brinca, trabalha ou socializa, é feito um diagnóstico de transtorno do espectro do autismo.

De onde vêm as definições?

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM) descreve os critérios que os médicos usam para diagnosticar doenças mentais e transtornos comportamentais.

Entre 1994 e 2013, o transtorno autista e o transtorno de Asperger foram os dois diagnósticos principais relacionados ao autismo na quarta edição do manual, o DSM-4.

Em 2013, o DSM-5 reduziu ambos os diagnósticos a um transtorno do espectro do autismo.

Como pensávamos sobre o autismo?

Os dois pensadores por trás das categorias diagnósticas do DSM-4 foram o psiquiatra de Baltimore Leo Kanner e o pediatra vienense Hans Asperger. Eles descreveram os desafios enfrentados por pessoas que mais tarde foram diagnosticadas com transtorno autista e transtorno de Asperger.

Kanner e Asperger observaram padrões de comportamento que diferiam dos pensadores típicos nos domínios da comunicação, interação social e flexibilidade de comportamento e pensamento. A variância foi associada a desafios de adaptação e sofrimento.

Entre as décadas de 1940 e 1994, a maioria das pessoas diagnosticadas com autismo também apresentava deficiência intelectual. Os médicos concentraram-se na deficiência intelectual que a acompanha como uma parte necessária do autismo.

A introdução do transtorno de Asperger mudou esse foco e reconheceu a diversidade do autismo. No DSM-4 parecia superficialmente que o transtorno autista e o transtorno de Asperger eram coisas diferentes, com os critérios de Asperger afirmando que não poderia haver deficiência intelectual ou atraso no desenvolvimento da fala.

Hoje, como legado do reconhecimento do próprio autismo, a maioria das pessoas diagnosticadas com transtorno do espectro do autismo – o novo termo do DSM-5 – não tem uma deficiência intelectual concomitante.

O que mudou com o “transtorno do espectro do autismo”?

A mudança para o transtorno do espectro do autismo trouxe o transtorno autista previamente diagnosticado e o transtorno de Asperger sob um novo termo diagnóstico.

Ficou claro que outros grupos de diagnóstico – como a deficiência intelectual – podem coexistir com o autismo, mas são coisas separadas.

A outra grande mudança foi reconhecer que a comunicação e as competências sociais estão intimamente ligadas e não são separáveis. Em vez de separar “comunicação prejudicada” e “habilidades sociais prejudicadas”, o critério diagnóstico mudou para “comunicação social prejudicada”.

A introdução do espectro no termo diagnóstico esclareceu ainda mais que as pessoas têm capacidades variadas na flexibilidade do seu pensamento, comportamento e comunicação social – e isto pode mudar em resposta ao contexto em que a pessoa se encontra.

Por que algumas pessoas preferem a terminologia antiga?

Algumas pessoas acham que o rótulo clínico de Asperger permitiu uma compreensão muito mais refinada do autismo. Isto incluiu o reconhecimento das conquistas e grandes contribuições sociais de pessoas com autismo conhecido ou presumido.

A contração “Aspie” desempenhou um papel enorme na mudança para uma formação de identidade positiva. No período que antecedeu o lançamento do DSM-5, Tony Attwood e Carol Gray, dois pensadores bem conhecidos na área do autismo, destacaram os pontos fortes associados a “ser Aspie” como algo de que se orgulhar. Mas também aumentaram a consciência sobre os desafios.

E quanto à linguagem baseada na identidade?

Uma mudança mais recente na linguagem foi a recuperação do que antes era visto como um insulto – “autista”. Esta foi uma mudança da linguagem que prioriza a pessoa para uma linguagem baseada na identidade, de “pessoa com transtorno do espectro do autismo” para “autista”.

O movimento pelos direitos da neurodiversidade descreve o seu objectivo de reagir contra uma violação dos direitos humanos resultante do desejo de curar, ou mudar fundamentalmente, pessoas com autismo.

O movimento utiliza um “modelo social de deficiência”. Isto vê a deficiência como decorrente da resposta das sociedades aos indivíduos e da incapacidade de adaptação para permitir a plena participação. Os desafios inerentes ao autismo são vistos apenas como um problema se não forem resolvidos através de ajustes razoáveis.

No entanto, o modelo social contrasta com um modelo médico ou clínico muito ultrapassado.

O pensamento e a prática clínica atual centram-se em apoios direcionados para reduzir o sofrimento, promover a prosperidade e permitir a participação individual ideal na escola, no trabalho, na comunidade e em atividades sociais. Não tem como objetivo curar ou mudar fundamentalmente as pessoas com autismo.

Um diagnóstico de transtorno do espectro do autismo sinaliza que há desafios além do que será resolvido apenas com ajustes; apoios individuais também são necessários. Por isso é importante combinar o melhor do modelo social e do modelo clínico contemporâneo.

Fornecido por A Conversa

Este artigo foi republicado de The Conversation sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.A conversa

Citação: Qual é a diferença entre autismo e transtorno de Asperger? (2024, 23 de março) recuperado em 24 de março de 2024 em https://medicalxpress.com/news/2024-03-difference-autism-asperger-disorder.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma parte pode ser reproduzida sem permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.

Looks like you have blocked notifications!

Segue as Notícias da Comunidade PortalEnf e fica atualizado.(clica aqui)

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Keuntungan Bermain Di Situs Judi Bola Terpercaya Resmi slot server jepang