Notícias

Desesperados para evitar a dengue, argentinos ficam sem repelente

dengue

Crédito: CC0 Domínio Público

O repelente de insetos se tornou um produto popular na Argentina, que é assediada por mosquitos transmissores da dengue e enfrenta escassez que gerou brigas em supermercados, rações e misturas caseiras.

O país é um dos mais atingidos por um surto de dengue que assola a América Latina e as Caraíbas, atribuído a um verão abafado que foi intensificado pelo fenómeno climático El Niño.

O surto ocorrido no meio de uma crise económica, num país com rigorosos controlos de importação, levou a uma grave escassez de repelentes de mosquitos.

Algumas empresas abriram canais dedicados no WhatsApp para avisar os clientes quando eles conseguirem algum produto. Outras impõem rações de três produtos por pessoa.

Num vídeo viral, um homem aparece num parque rodeado por uma nuvem de mosquitos, explicando como uma mistura de água e champô local de baixo custo da marca Plusbelle repele as pragas voadoras.

“Fiz tudo em casa”, disse Laura Di Costa, 56 anos, que não encontrou repelente e acabou internada com dengue, que causa dores nas articulações e nos ossos, o que lhe valeu o apelido de “febre quebra-ossos”.

A dengue pode provocar febre hemorrágica em casos graves e morte.

“Procuro não sair muito, não levo meus netos ao parque para não ficarem na grama”, acrescentou Di Costa.

Com 129 mortes até agora este ano, a Argentina registou um aumento de dez vezes em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados oficiais.

O Brasil registrou um aumento de 81% no número de casos, o maior da região, segundo a Organização Pan-Americana da Saúde, que registrou 3,5 milhões de casos – o triplo do observado em 2023.

“Provavelmente esta será a pior temporada de dengue (na região)”, disse Jarbas Barbosa, diretor da Organização Pan-Americana da Saúde.

Depois de enfrentar críticas da oposição pela sua “ausência” em meio à crise, o governo do presidente libertário Javier Milei retirou esta semana os impostos de importação de repelentes de mosquitos.

Entretanto, os sprays e cremes são vendidos por cerca de 40 dólares cada, em vez dos habituais 5 dólares, uma quantia dolorosa para uma população que já lida com uma inflação anual de 276 por cento.

© 2024 AFP

Citação: Desesperados para evitar a dengue, argentinos ficam sem repelente (2024, 6 de abril) recuperado em 6 de abril de 2024 em https://medicalxpress.com/news/2024-04-desperate-dodge-dengue-argentines-repellent.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma parte pode ser reproduzida sem permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.

Looks like you have blocked notifications!

Segue as Notícias da Comunidade PortalEnf e fica atualizado.(clica aqui)

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Keuntungan Bermain Di Situs Judi Bola Terpercaya Resmi slot server jepang