Oxigenoterapia Hiperbárica… o que é?

0 689

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A oxigenoterapia hiperbárica (OHB) é uma modalidade terapêutica que consiste na oferta de oxigênio puro (FiO2 = 100%) em um ambiente pressurizado a um nível acima da pressão atmosférica, habitualmente entre duas e três atmosferas. A OHB pode ser aplicada em câmaras com capacidade para um paciente (câmara monopaciente ou monoplace) ou para diversos pacientes (câmara multipaciente ou multiplace).

A oxigenoterapia hiperbárica é reconhecida como uma modalidade terapêutica que deve ser aplicada por um médico.

As indicações para a realização da terapia hiperbárica são as seguintes:

  • Embolia gasosa
  • Doença descompressiva
  • Embolia traumática pelo ar
  • Gangrena gasosa
  • Síndrome de Fournier
  • Outras infecções necrotizantes de partes moles: celulites, fasceítes e miosites
  • Vasculites agudas de etiologia alérgica, medicamentosa ou por toxinas biológicas (aracnídeos, ofídios e insetos)
  • Lesões por radiação: radiodermite, osteorradionecrose e lesões actínicas de mucosas
  • Anemia aguda, nos casos de impossibilidade de transfusão sanguínea
  • Isquemias traumáticas agudas: lesão por esmagamento, síndrome compartimental, reimplante de extremidade amputada e outros
  • Queimaduras térmicas ou elétricas
  • Lesões refratárias: úlceras de pele, pé diabético, escaras de decúbito, úlceras por vasculites auto-imunes, deiscências de sutura
  • Osteomielite
  • Retalhos ou enxertos comprometidos

A OHB consiste em uma modalidade segura apresentando poucas contra-indicações. Os efeitos colaterais da OHB estão relacionados à variação da pressão e/ou toxicidade do oxigênio. A toxicidade do oxigênio está relacionada à dose oferecida e ao tempo de exposição ao tratamento hiperbárico. As toxicidades pulmonar (inexistente com doses clínicas de OHB) e neurológica são as mais importantes. Os efeitos colaterais da OHB são os seguintes:

  • Toxicidade pulmonar: tosse seca, dor retrosternal, hemoptóicos e edema pulmonar
  • Toxicidade neurológica: parestesias e convulsão (1:10.000 tratamentos)
  • Desconforto e barotrauma auditivos
  • Desconforto em seios da face
  • Alterações visuais transitórias

 

Referências

1. Buras J. Basic mechanisms of hyperbaric oxygen in the treatment of ischemia – reperfusion injury. Intern Anesth Clin 2000; 38:91-109.

2. Wu W, Lieber MJ. Hyperbaric oxygen therapy: ten common questions related to the management of severe necrotizing skin and soft-tissue infections. Infect Dis Clin Pract 2001; 10:429-34.

3. Tibbles PM, Edelsberg JS. Hyperbaric oxygen therapy. N Engl J Med 1996; 334:1642-8.

[ratemypost] [ratemypost-result]

Fonte Scielo

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo