Pode uma banana matar? Uma não, mas 480, sim.

0 20

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A comunidade médica está frequentemente a alertar que «a dosagem faz o veneno», significando que qualquer coisa – na dosagem certa – pode matar. De seguida segue uma lista de cinco alimentos e itens comuns (e normalmente benignos) que poderá ser fatais. Já pensou em comer 480 bananas? Não coma.

– 480 bananas
Vamos ignorar a quase impossibilidade de colocar 480 bananas dentro do estômago e falar de outra coisa: potássio. Uma única banana geralmente contém 450 miligramas de potássio, fazendo dela uma excelente fonte de electrólitos. Iões de potássio caminham por dentro do nosso corpo, equilibrando os fluidos e desempenhando um importante papel nas contrações musculares e impulsos nervosos. As células de todo o tecido do nosso corpo têm canais de potássio.

Seria virtualmente impossível comer uma dose letal mediana de potássio (pouco mais de meio quilo), mas o elemento é muito mais mortal quando inserido directamente na corrente sanguínea, quando um súbito influxo surpreende o corpo. Sabemos disso muito bem porque em injeções letais, o químico que faz o coração parar de bater é o cloreto de potássio.

– 179 cafés expresso
Uma dose moderada de cafeína durante a manhã vai muito bem, obrigada. Uma dose elevada de cafeína causa intoxicação, e a pior parte de beber café exageradamente: inquietação, ansiedade, insónia, estômago irritado, coração agitado. Agora eleve isso ao extremo e a cafeína pode estimular o sistema nervoso de tal forma que cause arritmia cardíaca — palpitação, batimento irregular e até convulsões.

Cerca de 11 gramas é o suficiente para produzir uma dose média que seja letal para um adulto. Intoxicação por cafeína é extremamente rara e improvável de ocorrer apenas por ingestão de café, mas o perigo mora nas pílulas e energéticos cheios de cafeína.

– 47 colheres de chá de sal
Como qualquer leitor ou sobrevivente de naufrágio sabe, não se deve beber água salgada, porque a quantidade de sal que contém é demasiado para que o nosso corpo consiga processá-la.

Como o potássio, o sódio é um eletrólito que regula o fluxo de água das nossas células. Quando se tem muito sódio no fluido intersticial que banha as nossas células, a água escapa através de osmose para restaurar o equilíbrio, o que faz com que as células encolham. O mais óbvio sintoma da hipernatremia, ou o excesso de sódio no sangue, é neurológico: pouca capacidade de resposta, letargia e fraqueza. Em altíssimas quantidades, o sódio pode causar convulsões ou induzir ao coma.

– 17 garrafas de água
Pois é, até a água em excesso pode matar. Intoxicação por água é o oposto da intoxicação por sal. Quando se tem muita água e pouco sal no fluido intersticial, as células começam a reter água e inflam como balões. As pequeninas células do cérebro não têm espaço para inflar dentro do crânio, e isso pode causar uma lesão cerebral fatal.

Beber toda esta água é raro em circunstâncias normais. É muito mais comum em atletas profissionais ou consumidores de ecstasy em festas raves, nas quais as pessoas tendem a beber excesso de água por estarem a suar em demasia. O nosso corpo geralmente sabe equilibrar a água do corpo, mas quando a situação fica extrema, esse mecanismo para de funcionar – e isso pode acontecer com 17 garrafas de água.

– 24 tubos de pasta de dentes
Todos os tubos de pasta de dentes vêm com um aviso: «Mantenha longe do alcance de crianças». Fluoreto em pequenas doses é indiscutivelmente bom para prevenir cáries, mas muito dessa substância pode levar às urgências. De qualquer forma, uma dose letal precisa de muita pasta de dente – 24 tubos grandes para um adulto e um poucos menos (mas ainda assim muitos) tubos para uma criança. Numa série de avaliações de casos de crianças que ingeriram fluoreto, nenhum dos relacionados com a pasta de dentes apresentaram efeitos agravantes.
Todos os números foram calculados usando o sistema padrão de dose letal mediana (LD50), a dosagem que mata metade da população testada. Isso cobra variações naturais dos objectos de pesquisa, mas também significa que uma dose menor que o LD50 pode ser letal. Os testes LD50 são feitos em ratos e camundongos e os resultados são apresentados em miligramas da substância por quilo do corpo. Estes números são calculados com base num homem adulto de 90 quilos e são, obviamente, apenas estimativas.

Fontes e números relevantes:

Bananas: citrato de potássio, que é a forma como o potássio é encontrado em bananas, tem um LD50 de 7200mg/kg. Cerca de 1/3 do peso molecular do citrato de potássio é do potássio, logo, uma banana com 450mg de potássio contém 150mg de citrato de potássio.

Cafeína: contém um LD50 de 127mg/kg. Uma dose de café expresso contém 64mg de cafeína.

Sal: ou cloreto de sódio, possui LD50 de 3000mg/kg. Uma colher de sal pesa cerca de 5.69mg.

Água: LD50 de 90ml/kg.

Pasta de dentes: fluoreto de sódio possui LD50 de 52mg/kg. Um tubo pequeno de pasta de dentes contém 152mg de fluoreto de sódio; um tubo grande contém 198mg.

Fonte: Diário Digital

Gostar
Seguir
google

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina a nossa Newsletter e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo