Cuba desenvolve a primeira vacina de cancro de pulmão do mundo

0 74

Cuba é conhecida por ter um sistema de saúde bastante evoluído. Agora os cubanos parecem também ter uma vacina contra o cancro do pulmão.


Durante 55 anos, os EUA fizaram um embargo comercial a Cuba, em torno do qual a economia local tem lutado para crescer. Agora, as marés mudaram e com a administração Obama a levantar o embargo, os cientistas dos EUA estão ansiosos para colocar as mãos numa vacina contra o cancro do pulmão desenvolvida em Cuba.

Como parte de um acordo firmado no mês passado em Havana, uma vacina contra o cancro do pulmão desenvolvida pelo Centro de Imunologia Molecular de Cuba será testado nos EUA pelo Instituto do Cancro Roswell Park.

O objetivo? Obter a aprovação da vacina chamada “Cimavax” pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA. Com pesquisas que sugerem que a vacina é barata de produzir e tem baixa toxicidade, a utilização da sua perspectiva parece ser bastante emocionante.

A Cimavax irá começar a ser testada nos EUA nos próximos seis a oito meses. Os ensaios clínicos irão começar dentro de um ano. Apesar dos cubanos terem vivido em situação de pobreza relativa, com escassez de oferta drástica e trabalhadores a ganhar pouco por mês, o seu sistema médico é de classe mundial.

De facto, embora Cuba geste muito menos do que os EUA por pessoa em cuidados de saúde, a expectativa de vida é semelhante em ambos os países. Cuba teve que fazer mais com menos, sendo obrigada a ser mais inovadora com a forma como abordaram as coisas Há mais de 40 anos, eles tiveram uma comunidade imunologia proeminente.

Após uma epidemia de dengue ter atingido quase 350.000 cubanos em 1981, os irmãos Castro dizeram da medicina preventiva uma prioridade. Eles conseguiram produzir proteínas bastante importantes na imunidade e conseguiram também criar vacinas eficazes contra a meningite B e hepatite B.

Num país conhecido por charutos, pode não ser surpreendente que o cancro do pulmão seja uma das principais causas de morte. Assim, nos últimos 25 anos, os cubanos foram desenvolvendo Cimamax, que agora está disponível gratuitamente para todos os cubanos. O fármaco em si está longe de ser perfeito e, ao atacar uma proteína da célula em vez do tumor directamente, pode ter efeitos secundários graves, podendo até causar um maior risco de cancro.

Também não é uma cura, ou uma medicação preventiva, mas uma forma de gerir a doença. Mas os cientistas norte-americanos estão bastante esperançosos em pesquisar a vacina mais aprofundadamente para ver se ela pode fazer mais do que isso – eles acham que poderá ser útil para outros tipos de cancro, incluindo o da próstata, mama, cólon e pâncreas.

Os cubanos também têm outra vacina potencial contra o cancro do pulmão potencial chamada Racotumomab, que supostamente interrompe um lipídio especial nas membranas das células do tumor. Portanto, agora os pesquisadores nos EUA esperam poder ser capazes de aprender uma coisa ou dois com os médicos em Cuba que, por necessidade, foram forçados a inovar. [Sciencealert]

Fonte: Ciência Online

O melhor da PortalEnf...

Assina e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Segue-nos nas redes sociais!

Partilha isto com um amigo