Ressuscitação cardiopulmonar (RCP): Primeiros socorros

0 33.057

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

 A ressuscitação cardiopulmonar (RCP) é uma técnica de socorrismo útil em muitas situações de emergência, incluindo durante ataques cardíacos ou quase afogamentos, em que a respiração ou o batimento cardíaco de um indivíduo parou. A Associação Americana do Coração recomenda que toda a gente — quer sejam espectadores sem formação ou pessoal médico — inicie a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) com compressões torácicas.

É melhor fazer alguma coisa do que não fazer nada só porque tem receio que o seu nível de conhecimentos ou capacidades não sejam 100% correcto. Lembre-se, a diferença entre fazer alguma coisa e não fazer nada pode ser a vida de alguém.

Abaixo pode encontrar alguns conselhos da Associação Americana do Coração:

  • Pessoas sem formação. Se não tem formação em ressuscitação cardiopulmonar (RCP), apenas faça a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) utilizando as mãos. Isso significa que deve fazer cerca de 100 compressões ininterruptas por minuto, até chegarem os paramédicos (descrito em mais pormenor abaixo). Não é preciso que realize ventilação de resgate.
  • Pessoal com formação e preparado para agir. Se é tem formação e se sente confiante nas suas capacidades, inicie a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) com compressões torácicas, em vez de verificar primeiro as vias respiratórias e de fazer ventilação de resgate. Inicie a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) com 30 compressões torácicas antes de verificar as vias respiratórias de fazer ventilações de resgate.
  • Pessoal com formação, mas enferrujado (com pouca prática recente). Caso tiver tido formação em ressuscitação cardiopulmonar (RCP), mas não se sente confiante nas suas capacidades para a realizar, faça apenas compressões torácicas a uma cadência de cerca de 100 por minuto. (Detalhes disponíveis abaixo).

Os conselhos acima indicados aplicam-se a adultos, crianças e bebés que necessitem de ressuscitação cardiopulmonar (RCP), mas não pode ser aplicado a recém-nascidos.

A ressuscitação cardiopulmonar (RCP) mantém sangue oxigenado a fluir para o cérebro e para outros órgãos vitais até que um tratamento médico mais definitivo possa ser aplicado, restabelecendo o ritmo normal do coração.

Quando o coração pára, a falta de sangue oxigenado pode provocar danos cerebrais em apenas alguns minutos. Uma pessoa pode morrer em cerca de 8 a 10 minutos.

Para ficar a saber como fazer a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) correctamente, realize um curso de formação acreditada de primeiros socorros, que inclua ressuscitação cardiopulmonar (RCP) e como utilizar um desfibrilhador externo automático (DEA).

Antes de começar
Antes de iniciar a ressuscitação cardiopulmonar (RCP), verifique:

  • A pessoa está consciente ou inconsciente?
  • Se a pessoa parecer estar inconsciente, dê uma pequena estalada ou sacuda o ombro da pessoa e pergunte em voz alta, «Está bem?»;
  • Se a pessoa não responder e houver duas pessoas disponíveis, uma delas deve ligar para o 112 ou para o número de emergência local e a outra deverá iniciar a ressuscitação cardiopulmonar (RCP). Se estiver sozinho e ter acesso imediato a um telefone, ligue para o 112 antes de iniciar a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) — a menos que ache que a pessoa não responde a estímulos por causa de asfixia (por exemplo, devido a afogamento). Neste caso especial, inicie a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) durante um minuto e, de seguida, ligue para o 112 ou para o número de emergência local.
  • Se tiver imediatamente disponível um desfibrilhador externo automático (DEA), dê um choque eléctrico ao indivíduo, caso o dispositivo o indique; seguidamente, inicie a ressuscitação cardiopulmonar (RCP).

Lembre-se de soletrar C-A-B (em português, C-V-R)

A Associação Americana do Coração usa a sigla CAB (em português, CVR) — circulação, vias respiratórias, respiração — para ajudar as pessoas a recordarem-se da ordem pela qual devem executar os passos de ressuscitação cardiopulmonar (RCP).

Circulação: Restabelecer a circulação sanguínea através de compressões torácicas

  1. Colocar a pessoa deitada de costas numa superfície firme.
  2. Ajoelhe-se ao lado do pescoço e ombros da pessoa.
  3. Coloque a palma de uma das mãos no meio do peito da pessoa, no espaço que fica entre um mamilo e outro. Coloque a outra mão em cima da primeira mão. Mantenha os cotovelos rectos e posicione os seus ombros directamente acima das suas mãos.
  4. Utilize o seu peso corporal da parte superior do tronco (não apenas os braços), como empurrar o peito para baixo (comprimir), pelo menos, 2 polegadas (aproximadamente, 5 centímetros). Empurre com força, a uma cadência de cerca de 100 compressões por minuto.
  5. Se não tem formação em ressuscitação cardiopulmonar (RCP), continue a fazer compressões torácicas até que haja sinais de movimento ou até que o pessoal médico de emergência chegue ao local e assuma o controlo. Se tem formação em ressuscitação cardiopulmonar (RCP), vá verificando as vias respiratórias e utilizando ventilação de resgate.

Vias respiratórias: Desobstruir as vias respiratórias

  1. Se tem formação em ressuscitação cardiopulmonar (RCP) e já fez 30 compressões torácicas, abra a via respiratória, inclinando a cabeça da pessoa, a manobra de levantamento do queixo. Coloque a palma da sua mão na testa da pessoa e, delicadamente, incline a cabeça da pessoa para trás. De seguida, com a outra mão, levante suavemente o queixo da pessoa para a frente, de forma a abrir as vias respiratórias.
  2. Verifique se existe respiração normal, levando não mais do que 5 a 10 segundos. Verifique se há movimentação torácica, se ouve uma respiração normal e se sente a respiração da pessoa na sua bochecha e orelha. Arfar não é considerado respiração normal. Se a pessoa não estiver a respirar normalmente e se tem formação em ressuscitação cardiopulmonar (RCP), inicie a respiração boca-a-boca. Se acha que a pessoa está inconsciente, devido a um ataque cardíaco e se não tem formação em procedimentos de emergência, não faça a respiração artificial de resgate e continue a executar as compressões torácicas.

Respiração: Respire pela pessoa

A ventilação de resgate (respiração artificial) pode ser feita boca-a-boca ou boca-a-nariz, se a boca evidenciar ferimentos graves ou não puder ser aberta.

  1. Com a abertura das vias respiratórias (utilizando a manobra de inclinação da cabeça e de levantamento do queixo), aperte as narinas da pessoa para realizar a respiração boca-a-boca e cubra a boca da pessoa com a sua boca, criando um sistema de selagem.
  2. Prepare-se para fazer duas ventilações de resgate. Faça a primeira ventilação de resgate — com duração de um segundo — e verifique se o peito do indivíduo se eleva. Se houver elevação do peito, faça a segunda ventilação. Se o peito não se elevar, repita a inclinação da cabeça, a manobra do levantamento do queixo e depois faça a segunda ventilação de resgate. Trinta compressões seguidas de duas ventilações de resgate é considerado um ciclo.
  3. Retome as compressões torácicas para restabelecer a circulação de oxigénio.
  4. Se a pessoa não se começar a mexer após cinco ciclos (cerca de dois minutos) e tiver disponível um desfibrilhador externo automático (DEA), use-o e siga as indicações. Administre um choque eléctrico e depois retome a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) — começando com as compressões torácicas — por mais dois minutos antes de administrar um segundo choque eléctrico. Se não tem formação para utilizar um desfibrilhador externo automático (DEA), o operador do 112 ou outro pessoal médico de emergência pode ajudar a que o utilize, orientando o processo. Utilize discos pediátricos, se disponível, para crianças dos 1 aos 8 anos. Não utilize um desfibrilhador externo automático (DEA) em bebés com menos de 1 ano. Se não tiver um desfibrilhador externo automático (DEA) disponível, passe para o passo 5.
  5. Continue a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) até que haja sinais de movimento ou até que o pessoal médico de emergência chegue ao local e assuma o controlo.

Para realizar ressuscitação cardiopulmonar (RCP) numa criança

O procedimento para realizar ressuscitação cardiopulmonar (RCP) numa criança com idade entre os 1 e os 8 anos é basicamente o mesmo do que para um adulto. As diferenças são as seguintes:

  • Se estiver sozinho, realize cinco ciclos de compressões torácicas e de ventilações de resgate na criança — isto deve demorar cerca de dois minutos — antes de ligar para o 112, para o número de emergência local ou de utilizar um desfibrilhador externo automático (DEA).
  • Use apenas uma mão para realizar as compressões cardíacas.
  • Respire mais suavemente.
  • Utilize a mesma sequência de compressão-ventilação que é utilizada para os adultos: 30 compressões seguidas de duas ventilações. Isto perfaz um ciclo. Após as duas ventilações, comece imediatamente o ciclo seguinte de compressões e ventilações.
  • Após cinco ciclos (cerca de dois minutos) de ressuscitação cardiopulmonar (RCP), se não houver resposta e tiver disponível um desfibrilhador externo automático (DEA), use-o e siga as indicações. Utilize discos pediátricos, se disponível. Se não tiver disponíveis discos pediátricos, utilize discos para adultos.

Continue até que a criança se mexa ou até que chegue ao local ajuda médica especializada.

Para realizar ressuscitação cardiopulmonar (RCP) num bebé

A maioria das paragens cardíacas em bebés ocorre por falta de oxigénio, derivado de, por exemplo, afogamento ou asfixia. Se sabe que o bebé tem uma obstrução das vias respiratórias, efectue os primeiros socorros para o caso de asfixia. Se não sabe por que é que o bebé não está a respirar, realize a ressuscitação cardiopulmonar (RCP).

Para começar, examine a situação. Atinja, suavemente, o bebé e verifique se há uma resposta, um movimento, por exemplo, mas não abane o bebé.

Se não houver resposta, siga os procedimentos CVR abaixo e apenas ligue para a emergência médica a pedir ajuda na altura indicada abaixo:

  • Se for a única pessoa a socorrer o bebé e for preciso fazer ressuscitação cardiopulmonar (RCP), faça a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) durante dois minutos — cerca de cinco ciclos — antes de ligar para o 112 ou para o número de emergência local.
  • Se houver uma outra pessoa disponível, peça a essa pessoa que ligue imediatamente para a emergência médica, enquanto você ministra os primeiros socorros ao bebé.

Circulação: Restabelecer a circulação sanguínea

  1. Coloque o bebé deitado de costas numa superfície firme e plana, como uma mesa. No chão ou no solo também o poderá fazer.
  2. Imagine uma linha horizontal traçada entre os mamilos do bebé. Coloque dois dedos de uma das suas mãos um pouco abaixo desta linha, no meio do peito.
  3. Suavemente, comprima o peito em cerca de 1,5 polegadas (aproximadamente, 4 cm).
  4. Conte em voz alta à medida que for executando a compressão num ritmo bastante elevado. Deve fazer as compressões a uma cadência de 100 compressões por minuto.

Vias respiratórias: Desobstruir as vias respiratórias

  1. Após 30 compressões, incline suavemente a cabeça do bebé para trás, levantando o queixo com uma mão e empurrando para baixo a testa com a outra mão.
  2. Em cerca de 10 segundos, coloque o seu ouvido perto da boca do bebé e verifique se há respiração: Verifique se há movimentação torácica, se ouve a respiração e se sente a respiração do bebé na sua bochecha e orelha.

[pro_ad_display_adzone id=”14968″]

Respiração: Respire pelo bebé

  1. Cubra a boca e o nariz do bebé com a sua boca.
  2. Prepare-se para fazer duas ventilações de resgate. Utilize a força das suas bochechas para fazer sopros suaves (em vez de ventilações profundas), de forma a respirar lentamente para a boca do bebé, uma vez, e, de seguida, esperar cerca de um segundo até voltar a ventilar artificialmente o bebé. Verifique se o peito do bebé se eleva. Se isso acontecer, faça uma segunda ventilação. Se o peito não se elevar, repita a inclinação da cabeça, a manobra do levantamento do queixo e depois faça a segunda ventilação de resgate.
  3. Se o peito do bebé ainda assim não se elevar, examine a boca do bebé para garantir que não existe nenhum material estranho lá dentro. Se verificar a existência de um objecto estranho dentro da boca do bebé, retire-o com o dedo. Se achar que as vias respiratórias estão bloqueadas, efectue os primeiros socorros para o caso de asfixia de um bebé.
  4. Faça duas ventilações após cada 30 compressões torácicas.
  5. Realize ressuscitação cardiopulmonar (RCP) durante aproximadamente dois minutos antes de ligar para a emergência médica a pedir ajuda, a menos que outra pessoa possa fazer a chamada enquanto você dá os primeiros socorros ao bebé.
  6. Continue a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) até haver sinais de vida ou até que a equipa médica chegue ao local.

Fonte: Sanfil

Veja também:

Destaques da AHA 2015 Guidelines – Atualização para RCP e ACE

Gostar
Seguir
google

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina a nossa Newsletter e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo