Concurso para colocar mil enfermeiros já leva cinco meses. E está longe de acabar

VÍTOR RIOS / GLOBAL IMAGENS
0 17

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A juntar a um processo complicado e burocrático, há ainda o número elevado de candidaturas: perto de 11 mil

Amanhã faz cinco meses que foi publicado o aviso de abertura para mil vagas para contratar enfermeiros para o serviço público, das quais 774 para centros de saúde. Mas ainda não há qualquer previsão de quando é que estes enfermeiros poderão estar a prestar cuidados. O processo pode arrastar-se e muito. Às mil vagas concorreram perto de 11 mil profissionais e a lista final de admitidos e excluídos ainda está a ser finalizada. O último concurso para centros de saúde foi lançado em 2012 e ainda há 250 enfermeiros por colocar.

A Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), que está a centralizar o processo lançado a 25 de setembro para as 774 vagas para os centros de saúde, admite que não tem previsão para o fim do mesmo: “Só após a publicação da lista definitiva de candidatos admitidos e excluídos é que se irá iniciar a aplicação dos métodos de seleção, sendo o primeiro a avaliação curricular e iniciando-se posteriormente a fase das entrevistas que são efetuadas pelos elementos do júri. A ACSS e o júri encontram-se totalmente empenhados no seu desenvolvimento célere. No entanto, tendo presente o formalismo inerente a este tipo de procedimento, bem como o elevado número de candidaturas, não é ainda possível estabelecer uma previsão para o seu término.” O júri tem apenas três pessoas: presidente e dois vogais.

“Propusemos ao ministério que colocasse mais elementos no júri e que estivessem a tempo inteiro para concluir o processo em menos tempo, tal como propusemos o fim da entrevista, prevendo-se que iriam concorrer milhares de enfermeiros. O ministério não fez alterações. Vamos voltar a colocar a questão no dia 4, em nova reunião”, disse Guadalupe Simões, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP).

Em 2009 e 2012 abriram dois concursos para centros de saúde, lançados pelas Administrações Regionais de Saúde. No primeiro foram celebrados 1258 contratos e os enfermeiros já estão colocados. No segundo, abriram 750 vagas, das quais “já se encontram preenchidos aproximadamente 500. Informa-se ainda que os restantes se encontram em vias de vir a ser ocupados a curto prazo”, adiantou a ACSS. Guadalupe Simões explicou que o problema têm sido as impugnações aos resultados: “Era possível continuar com a colocação dos enfermeiros e criar vagas supranumerárias para os casos em que a contestação fosse correta.”

Querem sair dos hospitais

O número elevado de candidatos também torna este processo tão moroso. Neste caso, 10 957 para mil vagas, das quais 774 em centros de saúde. “Há muitos enfermeiros que querem sair dos hospitais para os centros de saúde, onde não fazem fins de semana nem noites. Nos hospitais não sabem a que horas saem e nos últimos anos sofreram grandes cortes nas horas de qualidade. Por um turno da noite recebem mais 12 euros brutos”, referiu Guadalupe Simões.

Ana Rita Cavaco, bastonária dos Enfermeiros, reforçou: “Os enfermeiros não podem fazer transferência entre hospitais e centros de saúde. Aproveitam os concursos para o fazer. O problema é que os enfermeiros são poucos e é preciso fazer contratações. A agravar a situação, há a emigração e as reformas. O SNS está em risco. Não temos enfermeiros para cuidar com a segurança que devemos.”

A estes juntam-se os que procuram o primeiro trabalho. “Há enfermeiros em falta que têm de se contratar, mas não formar. Defendo uma limitação do número de vagas nas faculdades. Temos de formar de acordo com as necessidades”, defendeu.

Vera Cardoso tem 36 anos e é enfermeira há 15. Trabalha no Centro Hospitalar Lisboa Central e é uma das 11 mil candidatas. Quer ir para um centro de saúde. “Há motivos pessoais e laborais. Há uma carência enorme de enfermeiros, que determinam turnos extra consecutivos e descanso limitado. Os ritmos de trabalho são elevados e nós cada vez menos. Estamos exaustos e queremos procurar outra situação”, contou, referindo que gostaria de sair da zona de Lisboa.

Fonte: http://www.dn.pt

Gostar
Seguir
google

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina a nossa Newsletter e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo