Casos suspeitos passam a ser seguidos em casa. “Muitos de nós vamos ter sintomas ligeiros ou moderados”, admite Graça Freitas

0 4
vote
Article Rating

“Estamos de facto em estado de emergência”, começou por dizer António Lacerda Sales sobre a pandemia de COVID-19 em Portugal. “A declaração de estado de emergência deixa-nos ainda mais alerta. Uma resposta musculada do Estado dá origem a uma reposta mais robusta das pessoas. Sem pânico, mas com responsabilidade”, frisou o secretário de Estado da Saúde.

“Contamos com cada português para lutar na sua trincheira”, disse, depois de confirmar os números do boletim diário da Direção-Geral da Saúde, que apontam para 3 mortos e 785 casos confirmados em Portugal.

Recomendações da DGS

A DGS acompanha a situação da expansão do novo coronavírus e recomenda:

  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.
Ler  Greve na função pública deve ter mais impacto na saúde e educação – Observador

“Os grupos de risco têm mesmo de ficar em casa”, advertiu. “Os cuidados de saúde primários estão a reorganizar-se. Os médicos de família já estão a contactar telefonicamente os doentes com consultas programadas e vão continuar a fazê-lo”, referiu ainda.

“Os utentes devem privilegiar o contactos telefónicos dos centros de saúde, que se estão a adaptar. Continuaremos a trabalhar em todas as frentes de combate ao surto. Os profissionais de Saúde continuam ser linha da frente”, acrescentou.

“Muitos de nós vamos ter sintomas ligeiros ou moderados”, alertou, depois, Graça Freitas, para pedir que se contacte a linha SNS 24 e se aguarde em casa.

A diretora-geral da Saúde anunciou hoje que Portugal vai passar para um novo modelo de atendimento no surto de COVID-19, com quem apresentar sintomas ligeiros ou moderados a ser seguido em casa. Graça Freitas explicou em conferência de imprensa, em Lisboa, que a maior parte das pessoas deve ligar para a linha SNS 24 (808 24 24 24) e assim ser seguida no seu domicílio.

Concretamente, a diretora-geral da Saúde explicou que os doentes serão acompanhados pelos seus médicos de família, enfermeiros ou outros profissionais de saúde.

“O que quero transmitir é que estamos a subir a curva, mas nesta fase vamos mudar a nossa forma de atendimento, vamos mudar o modelo de apenas hospitais de referência para outro modelo”, afirmou.

Fonte: Lifestyle Sapo

Looks like you have blocked notifications!
Queres receber as nossas notificações?
Assina a nossa Newsletter!

Assina e recebe as últimas novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinares. Se não receberes o mail de confirmação verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades e analisar o nosso tráfego. Ao continuar a navegar, está a concordar com a sua utilização. Aceitar Ler mais

0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
error: Alert: Content is protected !!
Partilha isto com um amigo