Notícias

Acordo pandêmico fala em desacordo enquanto o tempo passa

Quem

Crédito: Pixabay/CC0 Domínio Público

A ronda final de negociações sobre um acordo histórico sobre a pandemia enfrenta um último esforço frenético esta semana, com os países ainda a avançarem em direcções diferentes sobre como lidar com futuras crises de saúde globais.

A última semana de negociações decorre até quinta-feira, com as nações a tentarem chegar a um acordo para garantir que o mundo esteja melhor preparado para lidar com a próxima pandemia – ou melhor ainda, eliminá-la antes mesmo que aconteça.

Abalados pela COVID-19, que destruiu economias, derrubou sociedades, paralisou os sistemas de saúde e matou milhões de pessoas, os países decidiram, em Dezembro de 2021, construir um quadro de compromissos vinculativos para impedir que tal trauma voltasse a acontecer.

Mas à medida que dois anos de conversações chegam ao ponto crucial, subsistem importantes pontos de discórdia sobre até onde os países estão preparados para ir.

A nona e última rodada de negociações foi iniciada em 18 de março, com negociações diárias avançando até tarde da noite.

Selar um acordo envolverá negociações sérias – mas o momento decisivo permanece indefinido.

Os diplomatas insistem que continuam interessados ​​em concluir um acordo, mas as várias alianças ainda parecem distantes umas das outras.

O chefe da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou repetidamente as nações que “todos terão que dar algo, ou ninguém receberá nada”.

‘Crítico para a humanidade’

Os países europeus – que lideraram os apelos a um tratado pandémico – querem mais dinheiro investido na prevenção de pandemias, enquanto as nações africanas querem o conhecimento e o financiamento para fazer isso funcionar, além de acesso adequado a “contramedidas” pandémicas, como vacinas e tratamentos.

Os Estados Unidos querem garantir que todos os países partilhem dados e amostras de surtos emergentes de forma rápida e transparente, enquanto os países em desenvolvimento se mantêm firmes na busca de equidade garantida para evitar que fiquem para trás.

De acordo com o roteiro, um acordo finalizado sobre preparação, prevenção e resposta a pandemias seria adoptado na Assembleia Mundial da Saúde, de 27 de Maio a 1 de Junho, dos 194 estados membros da OMS.

Mas há uma sensação nos círculos diplomáticos de que as nações em desenvolvimento estão cada vez mais cansadas da obstinação ocidental e poderão ser necessárias negociações adicionais em Abril para cruzar a linha.

“Todos nós sabemos que ainda existem áreas críticas onde ainda não se chegou a um consenso”, disse Tedros na rodada final de negociações.

“Vocês concordam sobre o que estão tentando alcançar… agora precisam concordar sobre como alcançar esses objetivos.

“É de missão crítica para a humanidade que você faça isso”, alertou.

“Não podemos permitir que o ciclo de pânico e negligência se repita.”

Não há tempo para ‘acobardar-se’

Os principais temas ainda em jogo incluem o acesso a agentes patogénicos emergentes, uma melhor prevenção e monitorização de surtos de doenças, um financiamento fiável e a transferência de tecnologia para os países mais pobres.

As conversações estão a ser conduzidas por um Órgão de Negociação Intergovernamental co-presidido por Roland Driece, dos Países Baixos, e Precious Matsoso, da África do Sul.

Abrindo a rodada final de negociações, Driece disse que muitos países agora acham que chegar a um acordo seria “difícil” e que o rascunho “não era realmente o que gostamos”.

“Todos vocês disseram isso”, mas “é assim que funciona… É hora de encontrar compromissos”, explicou.

Matsoso disse de forma sucinta: “Você não pode se acovardar agora”.

O sucesso ou o fracasso na próxima pandemia pode depender fortemente da produção, pela indústria farmacêutica, das vacinas, testes e tratamentos necessários – e, crucialmente, da forma como estes serão distribuídos.

Thomas Cueni, diretor-geral do órgão da indústria da Federação Internacional de Fabricantes e Associações Farmacêuticas, disse que qualquer acordo seria “sem sentido” se as empresas estivessem sendo fortemente armadas.

“Só funciona se for voluntário e baseado em termos mutuamente acordados”, disse à AFP.

O chefe da IFPMA disse que houve transferência voluntária de tecnologia sem precedentes durante a COVID, e “se isso for criado da maneira errada, temo que isso coloque grandes barreiras e desincentivos na próxima vez”.

‘Menor denominador comum’

As organizações não-governamentais têm grandes preocupações sobre o rumo que o texto do acordo está a tomar.

KM Gopakumar, investigador sénior da Rede do Terceiro Mundo, supôs que, em troca de compromissos vinculativos sobre a partilha de agentes patogénicos, os países em desenvolvimento queriam propostas igualmente vinculativas “para partilhar os benefícios emergentes destes agentes patogénicos: vacinas, diagnósticos”.

Ele disse que houve “marginalização sistemática das disposições relacionadas com a equidade no instrumento pandêmico”.

Ele disse que frases como “os partidos devem promover” significam que “nada é concreto”.

Rachael Crockett, da iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas, disse que havia o risco de um acordo apressado que “poderia nos deixar com o menor denominador comum”.

Em última análise, figuras importantes da OMS têm tentado lembrar aos países por que razão as nações queriam um tratado em primeiro lugar.

O diretor de emergências da OMS, Michael Ryan, disse que o acordo seria uma promessa para as gerações futuras.

“O resultado realmente importa”, disse ele na quinta-feira.

“Este não é um documento velho e empoeirado que ficará em uma prateleira em algum lugar. Este tratado salvará vidas.”

© 2024 AFP

Citação: Acordo pandêmico fala em desacordo conforme o tempo passa (2024, 25 de março) recuperado em 25 de março de 2024 em https://medicalxpress.com/news/2024-03-pandemic-accord-loggerheads.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma parte pode ser reproduzida sem permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.

Looks like you have blocked notifications!

Segue as Notícias da Comunidade PortalEnf e fica atualizado.(clica aqui)

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Keuntungan Bermain Di Situs Judi Bola Terpercaya Resmi slot server jepang