You dont have javascript enabled! Please enable it!
Atualidade

ACES Médio Tejo precisa de 31 médicos de família para servir 24% da população

“Neste momento, temos 55 mil utentes sem médicos de família, o que corresponde a 24% dos utentes inscritos e frequentadores”, disse hoje a diretora executiva do ACES Médio Tejo, Diana Leiria, adiantando que estão em falta 31 profissionais para servir a região.

Essa falta de profissionais, acrescentou, gera um “impacto enorme” na população e tem sido agravada nos últimos dois anos por um défice entre a entrada de médicos e as saídas por aposentação.

Segundo contabilizou a responsável, no ano passado houve “22 médicos a sair e apenas nove entradas por concursos” e este ano, “até ao dia 01 de abril, já saíram 13 médicos e apenas entraram dois”, sendo “muito difícil fazer face a este défice”.

Diana Leiria falava aos jornalistas à margem de uma visita ao Gabinete de Saúde Oral da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) de Abrantes (Santarém), no Centro de Saúde de Alferrarede, e às instalações da Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC), onde foram realizadas obras de remodelação do espaço interior para a criação de gabinetes para a saúde pública.

No município de Abrantes, o problema da falta de médicos afeta cerca de oito mil pessoas.

“Para os oito mil utentes sem médico de família em Abrantes nós temos quatro médicos a trabalhar connosco, três prestadores de serviços e uma médica aposentada que aceitou fazer contrato connosco, ainda que a tempo parcial”, afirmou Diana Leiria.

Esses médicos permitem “manter uma série de extensões abertas” e assegurar “consulta de recurso para todos os utentes sem médico, de manhã e à tarde”, até que se consiga reforçar o quadro clínico, salientou.

A solução de recurso aplicada em Abrantes é extensível aos 11 municípios abrangidos pelo ACES Médio Tejo.

Ainda de acordo com a diretora executiva do ACES Médio Tejo, há a previsão de mais aposentações até ao final do ano.

“Houve aqui um ‘boom’ nos anos 80 de colocação de médicos, que neste momento estão-se todos a aposentar, e nós aqui no ACES Médio Tejo sofremos muito com isso”, disse, salientando que o ACES “tem vindo a tentar minimizar sempre que possível este impacto e a falta de médicos, recorrendo um bocadinho, também, à prestação de serviços, e também recorrendo à oferta de contratos a todos os médicos que se aposentam”.

Com cerca de 55 mil utentes atualmente sem médico de família, nos primeiros meses deste ano a situação agudizou-se no ACES do Médio Tejo devido à aposentação de 13 profissionais, sendo que, com 31 médicos atualmente em falta, a perspetiva é que o número irá aumentar.

Segundo uma fonte da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), este ano 25 médicos “atingiram ou irão atingir a idade da aposentação” no ACES do Médio Tejo.

“Durante este ano irão ainda decorrer os concursos de acesso à carreira especial médica de Medicina Geral e Familiar, nos quais, certamente, nos irão ser atribuídas vagas que esperamos vir a conseguir preencher. Até lá, temos recorrido quer à contratação de médicos aposentados, quer à prestação de serviços médicos, de forma a chegar ao maior número de utentes e, desta forma, tentar minimizar as dificuldades de acesso à prestação de cuidados médicos”, disse à Lusa fonte da ARSLVT.

Em declarações aos jornalistas, o presidente da Câmara de Abrantes disse que “sempre esteve e estará disponível para ser parte da solução e não do problema”, lembrando que o município assinou, em março, o auto que concretiza a transferência das competências para a autarquia no âmbito da Saúde, continuando a ser o Governo a deter competência e responsabilidade quanto à contratação e gestão do pessoal médico e de enfermagem.

“Estamos disponíveis para encontrar as melhores estratégias com o Ministério da Saúde e com o ACES Médio Tejo para minimizar o problema e para ajudar a procurar as soluções para captar médicos, enfermeiros e técnicos de saúde para que possam desenvolver a sua atividade profissional em Abrantes”, disse Manuel Jorge Valamatos (PS).

O ACES Médio Tejo tem 2.706 quilómetros quadrados e abrange 11 municípios com cerca de 225 mil utentes/frequentadores, sendo composto pelos municípios de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha, todos no distrito de Santarém.

LUSA/HN

Outros artigos com interesse:

Source link

Segue a PortaLEnf: Follow on FacebookTweet about this on TwitterFollow on LinkedIn
0 0 votes
Article Rating
Looks like you have blocked notifications!

Pub

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Artigos Relacionados

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao Topo
';
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x
Situs sbobet resmi terpercaya. Daftar situs slot online gacor resmi terbaik. Agen situs judi bola resmi terpercaya. Situs idn poker online resmi. Agen situs idn poker online resmi terpercaya. Situs idn poker terpercaya.

situs idn poker terbesar di Indonesia.

List website idn poker terbaik.

Permainan judi slot online terbaik

error: Alert: Content is protected !!
Partilha isto com um amigo
pasaran togel