Enfermeiros vão apresentar queixa à Organização Internacional do Trabalho e ao Conselho da Europa – Atualidade

0 9

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O advogado está hoje a participar “enquanto cidadão” na marcha branca pela enfermagem que junta milhares de pessoas em Lisboa.

Segundo o advogado, estão a ser ultimadas participações a nível internacional que deverão ser entregues junto da Organização Internacional do Trabalho e ao Conselho da Europa por “violação do direito à greve e do direito à atividade sindical”.

Em causa, está a atuação sobre os enfermeiros nas duas greves cirúrgicas, que motivaram uma requisição civil por parte do Governo e a homologação de um parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) a considerar a paralisação ilícita.

As fotos da marcha branca

Para Garcia Pereira, a requisição civil funciona como uma espécie de “balão de ensaio”, que suporta teorias que se passarem incólumes farão com que o direito à greve acabe.

No entender do advogado, a luta dos enfermeiros é também um movimento pela democracia.

“Prezo-me de apoiar a luta dos enfermeiros. Têm sido sistematicamente massacrados, ignorados e nos últimos tempos injuriados”, afirmou à Lusa.

Milhares de enfermeiros estão hoje à tarde a participar numa marcha pela enfermagem em Lisboa, um desfile que está “a mostrar a união” da classe, segundo organizadores e apoiantes.

Uma larga maioria de participantes respondeu ao apelo do movimento e enverga t-shirts e outra roupa branca, e usa cravos da mesma cor.

O desfile de hoje coincide com o Dia da Mulher e será também uma forma de assinalar “uma das figuras centrais da enfermagem”, Florence Nightingale, enfermeira que no século XIX mudou o paradigma da profissão, tendo sido considerada pioneira no tratamento a feridos de guerra, durante a Guerra da Crimeia.

Alguns sindicatos, como a Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE), convocaram para hoje uma greve nacional de enfermeiros para permitir a participação de mais profissionais no desfile.

Esta marcha ocorre depois de um período de especial contestação por parte dos enfermeiros, que se traduziu em duas greves em blocos operatórios e a um braço de ferro com o Governo, sobretudo depois de ter sido decretada uma requisição civil com o objetivo de travar a segunda paralisação.

Fonte: Lifestyle Sapo

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo