Notícias

Ásia-Pacífico obtém nova arma na luta contra a tuberculose resistente a medicamentos

tuberculose

Crédito: CC0 Domínio Público

Um tratamento mais rápido e muito mais eficaz para a tuberculose resistente aos medicamentos está a ser implementado na região Ásia-Pacífico, aumentando as esperanças de uma “nova era” no combate a uma das doenças infecciosas mais mortais do mundo.

A região teve a maior parte dos 10,6 milhões de novos casos de TB estimados no mundo em 2022, e mais de metade dos 1,3 milhões de mortes, mostram os números da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Embora a TB possa ser tratada com sucesso com antibióticos, mais de três por cento dos novos pacientes com TB são resistentes aos medicamentos habitualmente prescritos.

Até recentemente, o tratamento para estes pacientes envolvia injeções diárias dolorosas ou um punhado de comprimidos durante 18 meses ou mais, enquanto alguns sofriam efeitos colaterais graves, como náuseas e, em casos extremos, cegueira.

Muitas pessoas abandonaram prematuramente o tratamento, que teve uma taxa de sucesso de 63% ou menos.

Agora, um novo regime medicamentoso envolvendo menos comprimidos e efeitos secundários está a ser implementado na Ásia-Pacífico, incluindo as Filipinas, o Vietname e a Indonésia, onde os ensaios demonstraram uma taxa de cura superior a 90% após seis meses.

O tratamento, conhecido como BPaL, combina os antibióticos bedaquilina, pretomanida e linezolida, e recebeu aprovação regulatória em mais de 60 países desde 2019, de acordo com a organização sem fins lucrativos TB Alliance, que o desenvolveu.

A OMS atualizou as suas diretrizes em 2022 para permitir que o BPaL fosse usado com ou sem um quarto antibiótico chamado moxifloxacina.

O BPaL mudou a vida do cozinheiro filipino Efifanio Brillante, que foi diagnosticado com tuberculose resistente a medicamentos em junho de 2022 e inicialmente passou por uma forma mais antiga de tratamento.

Brillante, 57 anos, engolia 20 comprimidos por dia, mas isso o deixava tão enjoado que não conseguia trabalhar nem comer.

Ele interrompeu a medicação depois de duas semanas, mesmo sabendo que a decisão poderia ser fatal.

“É muito difícil. Você está sempre na cama”, disse Brillante à AFP sobre sua experiência de ter tuberculose.

“Às vezes eu nem conseguia respirar.”

No mês seguinte, Brillante participou de um estudo BPaL no Hospital Geral Jose B Lingad Memorial, na província de Pampanga, ao norte da capital filipina, Manila.

Ele tomou entre três e sete comprimidos por dia e ficou curado após seis meses.

“Estou muito grato por ter sido curado”, disse Brillante à AFP em sua casa.

“Se eu não fizesse esse BPaL, já poderia estar enterrado no cemitério.”

‘Uma doença curável’

A tuberculose, antes chamada de tuberculose, é causada por uma bactéria que ataca principalmente os pulmões e é transmitida pelo ar por pessoas infectadas, por exemplo, pela tosse.

Embora seja encontrada em todos os países, as pessoas mais pobres que vivem e trabalham em condições de superlotação correm maior risco de contrair a doença.

Oito países foram responsáveis ​​por dois terços dos novos casos de TB em 2022: Índia, Indonésia, China, Filipinas, Paquistão, Nigéria, Bangladesh e República Democrática do Congo.

Um dos maiores desafios do tratamento da TB resistente aos medicamentos tem sido fazer com que os pacientes tomem a medicação completa.

Mesmo em países onde o tratamento é gratuito, os pacientes enfrentam custos de viagem para os hospitais e perda de rendimentos, ou mesmo de emprego, devido à doença e aos efeitos secundários dos medicamentos, levando muitos a parar de tomar os seus comprimidos.

No Vietname, a maioria das pessoas diagnosticadas com tuberculose provém de famílias de baixos rendimentos, disse à AFP Hoang Thi Thanh Thuy, do Programa Nacional de Tuberculose do Vietname.

Quase todas as pessoas com TB resistente aos medicamentos suportaram despesas “catastróficas” durante o período do tratamento, disse ela.

“Todas essas dificuldades podem afetar a adesão do paciente e levar a um tratamento inadequado e ao aumento da resistência aos medicamentos”, disse Thuy.

Identificar pessoas com TB também é um desafio.

Na Indonésia, algumas unidades de saúde ainda não conseguem diagnosticar adequadamente a doença, disse Imran Pambudi, do Ministério da Saúde.

O medo do estigma social devido a um diagnóstico positivo também é comum.

“Estamos a tentar educá-los de que a tuberculose é uma doença curável”, disse Irene Flores, que liderou o ensaio BPaL no Hospital Geral Jose B Lingad Memorial, nas Filipinas.

“Se eles chegarem mais cedo, podemos evitar complicações”.

Mais investimento necessário

Após anos de declínio, o número de pessoas que adoeceram com tuberculose e tuberculose resistente a medicamentos começou a aumentar durante a pandemia da COVID-19, o que perturbou o diagnóstico e o tratamento, afirmou anteriormente a OMS.

Após gigantescos esforços globais para desenvolver uma vacina contra o coronavírus, a OMS apelou a um aumento do financiamento para combater a TB.

“À medida que a TB deixou de ser um problema nos países de rendimento elevado, a motivação para investir na investigação e desenvolvimento de novos medicamentos para a TB desapareceu”, disse Sandeep Juneja, vice-presidente sénior de acesso ao mercado da TB Alliance.

Para ajudar a acelerar a implementação do BPaL, com ou sem moxifloxacina, a TB Alliance criou um “centro de conhecimento” em Manila para fornecer formação e assistência a outros países.

Na Índia, onde o BPaL foi aprovado, há uma impaciência crescente para que seja introduzido nas clínicas de saúde, dado o número mundial de casos do país.

“O BPaL deve ser implementado em breve porque poupará os pacientes de muitas dores de cabeça e também proporcionará alívio psicológico, além de reduzir o custo do tratamento a longo prazo”, disse Ravikant Singh, fundador do grupo de defesa Doctors For You.

Juneja disse que o novo regime significa que o tratamento da TB resistente aos medicamentos já não é um jogo de adivinhação sobre se um paciente sobreviverá ou não.

Mas é preciso fazer mais, acrescentou.

“Espero que isto seja… apenas o início de uma nova era de tratamento da TB, onde serão ainda mais simples e mais curtos.”

© 2024 AFP

Citação: Ásia-Pacífico obtém nova arma na luta contra a tuberculose resistente a medicamentos (2024, 12 de abril) recuperada em 12 de abril de 2024 em https://medicalxpress.com/news/2024-04-asia-pacific-weapon-drug-resistente.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma parte pode ser reproduzida sem permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.

Looks like you have blocked notifications!

Segue as Notícias da Comunidade PortalEnf e fica atualizado.(clica aqui)

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Keuntungan Bermain Di Situs Judi Bola Terpercaya Resmi slot server jepang