Escala de Risco de Queda de Morse

0 32.908

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Escala de Queda Morse (Morse Fall Scale), foi publicada por Morse em 1989 e é composta por seis critérios para a avaliação do risco de quedas: History of Falling, Secondary Diagnosis, Ambulatory Aid, Intravenosys Theraphy/Heparin lock, Gait end Mental Status. Cada critério avaliado recebe uma pontuação que varia de zero a 30 pontos, totalizando um escore de risco, cuja classificação é a seguinte: risco baixo: de 0 – 24; risco médio: de 25 – 44 e risco alto: ≥45

Esta classificação foi testada por outros pesquisadores, que recomendaram outros estudos de avaliação da MFS, em função de que fatores não contemplados por esta escala possam estar intervindo na determinação do risco para quedas. Sugeriram também que se considere a realidade local para determinar o melhor ponto de corte relacionado ao risco de queda.

Esta escala, ainda não foi validada para língua portuguesa, apesar de algumas unidades hospitalares já praticarem esta escala devido a sua simplicidade e eficácia.

Morse Fall Scale

1. Histórico de quedas

NÃO – 0 pontos

SIM – 25 pontos

  • NÃO: Se o paciente não tem história de quedas nos últimos três meses.
  • SIM: Se o paciente caiu durante o período da internação hospitalar ou se tem histórico recente (até três meses) de quedas por causas fisiológicas, tais como convulsões ou marcha comprometida antes da admissão hospitalar.

2. Diagnóstico Secundário

NÃO – 0 pontos

SIM – 15 pontos

  • NÃO: Se no prontuário do paciente apresentar apenas um diagnóstico médico.
  • SIM: Se no prontuário do paciente apresentar mais de um diagnóstico médico.

3. Auxílio na Deambulação

Nenhum/Acamado/Auxiliado por Profissional da Saúde – 0 pontos

Muletas/Bengala/Andador – 15 pontos

Mobiliário/Parede – 30 pontos

  • Nenhum/Acamado/Auxiliado por Profissional da Saúde: Se o paciente deambula sem equipamento auxiliar (muleta, bengala ou andador) // Se deambula com a ajuda de um membro da equipe de saúde // Se usa cadeira de rodas ou se está acamado e não sai da cama sozinho.
  • Muletas/Bengala/Andador: Se o paciente utiliza muletas, bengala ou andador.
  • Mobiliário/Parede: Se o paciente se movimenta apoiando-se no mobiliário/paredes.

4. Terapia Endovenosa/dispositivo endovenoso salinizado ou heparinizado

NÃO – 0 pontos

SIM – 20 pontos

  • NÃO: Se o paciente não usa dispositivo endovenoso. Nota: quando o paciente usa dispositivo totalmente implantado, considera-se pontuação zero, quando não estiver em uso.
  • SIM: Se o paciente usa dispositivo endovenoso com infusão contínua ou não (salinizado ou heparinizado).

5. Marcha

Normal/Sem deambulação, Acamado, Cadeira de Rodas – 0 pontos

Fraca – 10 pontos

Comprometida/Cambaleante – 20 pontos

  • Normal/Sem deambulação, Acamado, Cadeira de Rodas: Uma marcha normal é caracterizada pelo andar de cabeça ereta, braços balançando livremente ao lado do corpo e passos largos, sem hesitação. Também recebe a mesma pontuação se o paciente está acamado e/ou usa cadeira de rodas (sem deambulação).
  • Fraca: Os passos são curtos e podem ser vacilantes. Quando a marcha é fraca, embora o paciente incline-se para frente enquanto caminha, é capaz de levantar a cabeça sem perder o equilíbrio. Além disso, caso ele faça uso de algum mobiliário como apoio, este apoio se dá de maneira leve somente para se sentir seguro, não para se manter ereto.
  • Comprometida/Cambaleante: O paciente dá passos curtos e vacilantes e pode ter dificuldade de levantar da cadeira, necessidade de se apoiar nos braços da cadeira para levantar e/ou impulsionar o corpo (faz várias tentativas para se levantar impulsionando o corpo). Com esse tipo de marcha, a cabeça do paciente fica abaixada e ele olha para o chão. Devido à falta de equilíbrio, o paciente agarra-se ao mobiliário, a uma pessoa ou utiliza algum equipamento de auxilio à marcha (muletas, bengalas, andadores) para se segurar e não consegue caminhar sem essa ajuda. Quando ajuda estes pacientes a caminhar, o membro da equipe de saúde nota que o paciente realmente se apoia nele e que, quando o paciente se apóia em um corrimão ou mobília, ele o faz com força até que as articulações de seus dedos das mãos fiquem brancas.

6. Estado Mental

Orientado/capaz quanto a sua capacidade/limitação – 0 pontos

Superestima capacidade/Esquece limitações – 15 pontos

  • Orientado/capaz quanto a sua capacidade/limitação: Ao perguntar ao paciente “Você é capaz de ir ao banheiro sozinho ou precisa de ajuda?” verifique se a resposta é consistente com as informações constantes no prontuário e/ou com sua avaliação. Em caso positivo, o paciente é classificado como capaz.
  • Superestima capacidade/Esquece limitações: Ao perguntar ao paciente “Você é capaz de ir ao banheiro sozinho ou precisa de ajuda?” verifique se a resposta não é consistente com as informações do prontuário e/ou com sua avaliação ou se a avaliação do paciente é irreal. Se isto acontecer, este paciente está superestimando suas habilidades e esquecendo suas limitações.

0080-6234-reeusp-47-3-00569-gf01

Fonte: Urbanetto JS, Creutzberg M, Franz F, Ojeda BS, Gustavo AS, Bittencourt HR, Steinmetz QL, Farina VA. Morse Fall Scale: tradução e adaptação transcultural para a língua portuguesa. Rev Esc Enferm USP. 2013; 47(3):569-75.

[ratemypost] [ratemypost-result]

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo