Alta hospitalar precoce e hospitalização domiciliária

0 971

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A alta precoce para o domicílio com apoio de serviço de hospitalização domiciliária tem benefício nos custos em saúde e na saúde dos doentes?

TIPO DE ESTUDO

Revisão sistemática da literatura de ensaios clínicos aleatorizados comparando alta precoce com apoio de hospital domiciliário e internamento em hospital de agudos em adultos. Foram excluídos dados relativos a hospitais obstétricos, pediátricos e psiquiátricos.

Relativamente ao tipo de intervenção, os cuidados de saúde eram prestados no domicílio do doente por diferentes instituições (serviço hospitalares, comunitários ou mistos). A maioria dos cuidados eram providenciados por equipa de enfermagem com apoio de outros profissionais (médicos, fisioterapeutas, terapêutas ocupacionais e assistentes sociais). Num estudo de reabilitação o apoio era prestado por voluntários da Cruz Vermelha treinados.

Foi realizada pesquisa, até 9 de Janeiro 2017, nas seguintes bases de dados: The Cochrane Effective Practice and Organisation of Care Group (EPOC) register, Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL), MEDLINE, Embase, CINAHL, and EconLit.

RESULTADOS (outcomes)

Primários: mortalidade e readmissão hospitalar.

Secundários: status funcional, dados reportados pelo doente, complicações clínicas, institucionalização após a alta, complicações clínicas, satisfação do doente, opinião do cuidador (satisfação e sobrecarga), visitas de profissionais de saúde, duração de internamento, consumo de recursos de saúde.

RESULTADOS

Identificaram-se 32 ensaios clínicos aleatorizados (2 dos quais não publicados), incluindo 4746 doentes de 12 países. Onze estudos incluíram doentes em recuperação após acidente vascular cerebral (AVC), oito estudos incluíram doentes com doenças médicas múltiplas, um estudo focou-se em particular em doentes com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), um estudo incluiu doentes com pancreatite aguda não alcoólica e outro estudo incluiu doentes com insuficiência cardíaca. Estudos no contexto de recuperação pós cirurgia electiva incluíram doentes com hérnias e varizes, enxerto de bypass artéria coronária, cirurgia ortopédica de joelho e anca.

Principais resultados:

  • Doentes em recuperação após AVC admitidos no programa de hospitalização domiciliária:
    • Apresentam reduzida diferença ou ausência de diferença na mortalidade (evidência de moderada qualidade) ou readmissão hospitalar aos 3-6 meses (evidência de baixa qualidade);
    • Poderão ter menor risco de institucionalização aos 6 meses e maior satisfação do doente (evidência de baixa qualidade) e provavelmente menor duração média do internamento em aproximadamente 7 dias (95% IC 10.19 a -3.17) (evidência de moderada qualidade);
    • Apresentam efeito incerto nos custos em saúde (evidência de muito baixa qualidade).
  • Doentes com doenças médicas múltiplas incluídos no programa de hospitalização domiciliária:
    • Apresentam reduzida ou ausente diferença na mortalidade aos 3-6 meses (evidência moderada qualidade); Nos doentes com DPOC os dados da mortalidade aos 2-3 meses não foram conclusivos;
    • Poderão ter aumento do risco de reinternamento hospitalar aos 3 meses (evidência de moderada qualidade); Nos doentes com DPOC poderá haver diminuição do risco de reinternamento aos 3 meses (evidência de baixa qualidade);
    • Poderão ter menor risco de institucionalização e maior satisfação (evidência de baixa qualidade) ;
    • Apresentam redução da duração média de internamento (0.5 – 20 dias) (evidência de moderada qualidade);
    • Apresentam efeito incerto nos custo em saúde (evidência de muito baixa qualidade).
  • Doentes submetidos a cirurgia electiva incluídos no programa de hospitalização domiciliária:
    • Poderão não ter diferença na mortalidade ou reinternamento hospitalar (evidência de baixa qualidade);
    • Estudos não apresentaram dados relativos a institucionalização;
    • Poderão ter maior satisfação (evidência de baixa qualidade) e redução da duração média de internamento em aproximadamente 4 dias (evidência de moderada qualidade);
    • Apresentam efeito incerto nos custo em saúde (evidência de muito baixa qualidade).

CONCLUSÕES

Apesar do crescente interesse no potencial de serviços de hospitalização domiciliária como uma alternativa menos dispendiosa ao internamento hospitalar, a presente revisão detectou evidência insuficiente do benefício económico (através de uma redução no período de internamento hospitalar) ou melhoria dos resultados clínicos desta intervenção.

COMENTÁRIO

Hospital at home” ou hospitalização domiciliária constitui um modelo inovador que providencia cuidados de saúde hospitalares no domicílio, em substituição dos cuidados prestados no internamento hospitalar. Foi testado por diversos centros médicos em vários países e está a ser desenvolvido também em alguns centros portugueses (ex: Hospital Garcia da Orta).

Este modelo resultou da necessidade de gerir um recurso limitado que são as camas de internamento agudo no hospital. No entanto, é importante avaliar se esta mudança no tratamento não acarreta aumento do risco nos cuidados clínicos prestados durante o episódio agudo e posteriormente no número de readmissões hospitalares e institucionalizações. Outro factor importante a ser analisado é a potencial vantagem económica na redução dos custos do internamento no hospital.

Os autores da revisão sistemática pretenderam avaliar a mortalidade e readmissão hospitalar nos 3 a 6 meses após o evento agudo. Paralelamente foi avaliada a institucionalização, bem como a satisfação dos doentes, duração de internamento e custos em saúde.

Os autores concluíram que ainda não existe evidência suficiente relativamente ao benefício económico ou melhoria dos resultados clínicos na utilização de recursos de saúde com a hospitalização domiciliária.  No entanto, esta revisão conclui, com grau de evidência baixo a moderado, que estes cuidados de saúde não afetam a mortalidade ou reinternamento hospitalar.

Atendendo ao envelhecimento da população e ao crescente consumo de cuidados de saúde pela população idosa, é desejável a realização de ensaios clínicos nesta população de doentes de modo a avaliar o impacto de diferentes intervenções (ex: hospitalização domiciliária) nos custos em saúde.

Autores: Mariana Alves, Miguel Bigotte Vieira, António Vaz Carneiro

Referências

Gonçalves-Bradley D, Iliffe S, Doll HA, Broad J, Gladman J, Langhorne P, Richards SH, Shepperd S. Early discharge hospital at home. Cochrane Database of Systematic Reviews 2017, Issue 6. Art. No.: CD000356

[ratemypost] [ratemypost-result]

Fonte Univadis

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo