Notícias

Algumas comunidades indígenas no norte de Quebec têm poucos funcionários para realizar procedimentos que salvam vidas, segundo estudo

cuidado de emergência

Crédito: Unsplash/CC0 Domínio Público

As comunidades indígenas no norte do Quebeque enfrentam obstáculos significativos no acesso aos cuidados de saúde. A região de Nunavik é remota, com opções de transporte limitadas e condições climáticas extremas. Como resultado, a sua população enfrenta uma menor esperança de vida e piores resultados de saúde.

Novas descobertas da Universidade McGill fornecem um modelo para abordar as necessidades urgentes de cuidados de saúde de Nunavik, oferecendo provas concretas para discussões com os decisores políticos.

A obra, publicada no Revista Canadense de Cirurgia, examina a capacidade de atendimento cirúrgico e de trauma na região, revelando disparidades preocupantes e a importância da expansão dos serviços de telessaúde. A equipa de investigação avaliou as principais instalações de cuidados de saúde, incluindo o Centro de Saúde Ungava Tulattavik (UTHC), o Centro de Saúde Inuulitsivik (IHC) e 12 centros de serviços comunitários locais (CLSCs) em aldeias ao longo das costas da Baía de Hudson e da Baía de Ungava.

Disparidades gritantes no acesso aos cuidados de saúde

Os investigadores pontuaram os centros de saúde numa escala de 10 pontos com base em vários factores. Em todas as instalações, o pessoal e os recursos revelaram-se como deficiências flagrantes, apesar de os equipamentos e fornecimentos estarem prontamente disponíveis. Quanto às cirurgias, o Centro de Saúde de Inuulitsivik (IHC) teve a capacidade mais elevada, com 6,7, enquanto os CLSC nas aldeias ao longo da costa da Baía de Ungava tiveram a pontuação mais baixa, com 5,5. Da mesma forma, a equipe observou uma disparidade na capacidade dos hospitais para lidar com ferimentos graves. O IHC obteve a pontuação mais alta, 7,2, enquanto os CLSCs nas aldeias ao longo da costa da Baía de Hudson tiveram a pontuação mais baixa, 5,5.

“Estes resultados não serão surpreendentes para quem trabalha nestes ambientes. No entanto, fornecem uma base importante para futuros programas de capacitação, bem como metas específicas para melhoria, nomeadamente o recrutamento e retenção de pessoal qualificado”, disse o Dr. Evan Wong, professor assistente de cirurgia na Universidade McGill, investigador do Programa de Ciências Cirúrgicas e Intervencionistas (SIS) do Instituto de Pesquisa do Centro de Saúde da Universidade McGill (RI-MUHC) e coautor do estudo.

Barreiras à telessaúde

Os serviços de telessaúde, como consultas médicas virtuais, cresceram significativamente durante a pandemia da COVID-19 e são especialmente úteis em regiões remotas. Este estudo concluiu que, embora a necessidade de telessaúde seja elevada em todas as instalações, nenhuma está totalmente preparada para implementá-la. Os investigadores apontam o financiamento, o apoio administrativo e os espaços físicos como algumas das barreiras significativas.

Com base nas conclusões, a equipa de investigação defende uma acção decisiva para abordar a desigualdade nos cuidados de saúde na região. Estas incluem facilitar a comunicação remota entre médicos rurais e especialistas urbanos, criar programas de formação para profissionais de saúde em cidades pequenas para gerirem cirurgias e lesões graves, e encontrar novas formas de incentivar médicos e enfermeiros a trabalhar em áreas remotas.

“Este importante trabalho destaca uma disparidade impressionante que existe dentro do sistema de saúde de Quebec em termos da população indígena e o impacto das lesões nos resultados de sua saúde. Embora as conclusões sejam preocupantes, elas destacam uma excelente oportunidade para fortalecer parcerias regionais entre hospitais ‘ no sul ‘e nossos hospitais parceiros em Nunavik”, explica o Dr. Jeremy Grushka, coautor do estudo, que também é pesquisador do Programa SIS no RI-MUHC e professor assistente de cirurgia na Universidade McGill.

Mais Informações:
Allyson Kis et al, Capacidade cirúrgica, de trauma e telessaúde em comunidades indígenas no norte de Quebec: uma pesquisa transversal, Revista Canadense de Cirurgia (2023). DOI: 10.1503/cjs.013822

Fornecido pela Universidade McGill

Citação: Algumas comunidades indígenas no norte de Quebec têm poucos funcionários para realizar procedimentos que salvam vidas, conclui o estudo (2024, 25 de março) recuperado em 25 de março de 2024 em https://medicalxpress.com/news/2024-03-indigenous-communities-northern- quebec-short.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma parte pode ser reproduzida sem permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.

Looks like you have blocked notifications!

Segue as Notícias da Comunidade PortalEnf e fica atualizado.(clica aqui)

Portalenf Comunidade de Saúde

A PortalEnf é um Portal de Saúde on-line que tem por objectivo divulgar tutoriais e notícias sobre a Saúde e a Enfermagem de forma a promover o conhecimento entre os seus membros.

Deixe um comentário

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
Keuntungan Bermain Di Situs Judi Bola Terpercaya Resmi slot server jepang