Paralisia do sono: Acordar e não conseguir se mexer na cama. Veja porque acontece!

1 681

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A paralisia do sono é um dos fenômenos mais assustadores relacionado ao sono. Você tenta despertar depois do sono e … Abre os olhos, mas eles não se movem. Tenta mexer alguma parte do corpo, mas não consegue. Tenta gritar e pedir ajuda, mas não consegue emitir nenhum som. Isso parece terrível não é? Mas acontece com muita gente e talvez já tenha acontecido com você também. O nome disso é paralisia do sono ou paralisia noturna. É um fenômeno natural, temporário e benigno do ser humano que ocorre durante o sono.

O fenômeno não é recente e nem são de hoje as tentativas de explicá-lo. Por exemplo, o folclore brasileiro conta a lenda da Pisadeira. É uma mulher que surge do seu esconderijo para pisar sobre o peito da pessoa adormecida, que por sua vez permanece em estado letárgico enquanto mantém a consciência de tudo que acontece. A mitologia japonesa dá a esses mesmos sintomas o nome de kanashibari, que seria obra da magia de um dos deuses budistas. Aliás, o médico responsável pela famosa técnica de como dormir rápido também procura tais explicações.

A paralisia do sono é uma parassonia. De acordo com um estudo publicado no periódico Jornal de Pediatria [1] as parassonias consistem em fenômenos motores, autonômicos ou experienciais indesejáveis, que ocorrem durante o sono. Os autores atribuem as parassonias ao stress psicológico que podem aumentar a frequência dos episódios.

O QUE É PARALISIA DO SONO?

A chamada “paralisia do sono” acontece quando estamos dormindo. Na verdade é uma forma de evitar que o corpo se mova durante os sonhos. É um fenômeno natural e benigno que ocorre todas as noites, embora seja raramente notado pela própria pessoa enquanto dorme. Momentos antes da mente despertar, a paralisia cessa. Por isso, raramente se tem consciência da sua existência. Se, por acaso, a mente despertar antes do mecanismo de paralisação ser desativado, a pessoa pode perceber a paralsia do sono.

Esta consciência pode ser muito perturbadora, pois o indivíduo dá por si mesmo completamente paralisado, incapaz de mover os membros, tendo uma sensação de agonia e de impotência muito fortes. A mente ainda está a atravessar um período de transição entre o estado de sono e o estado de vigília (ou vice-versa). Assim, podem surgir alucinações hipnagógicas: presença de uma pessoa, ouvir vozes ou sons, sensação de flutuação ou de se sair do próprio corpo, imagens de pessoas, visualização de objetos, sensação de ver em redor mesmo tendo os olhos fechados, etc. Tanto as alucinações como a própria paralisia são inofensivas, existindo quem aproveite esta fase para induzir sonhos lúcidos ou alucinações agradáveis.

Afinal, o que é a paralisia do sono?

Trata-se de uma parassonia – um distúrbio associado ao sono. Pode acontecer logo depois que adormecemos ou enquanto estamos acordando. A dificuldade para se movimentar e falar pode vir acompanhada de experiências hipnagógicas: alucinações visuais, sensoriais ou auditivas.

Pode parecer que há um intruso no local onde estamos dormindo: barulho da maçaneta se abrindo ou de passos, uma “pessoa de sombra” vindo, ou ainda uma sensação de presença ameaçadora no quarto. Pode haver também o sentimento de pressão no peito e dificuldade para respirar com a sensação de ser sufocado. Além disso, existem relatos sobre sensação de voar, flutuar ou pairar sobre o corpo.

Não ameaça a vida… mas assusta! Relatos de paralisia do sono são contados há séculos, em regiões e culturas diferentes do mundo. Apesar de não durar muito tempo (geralmente segundos ou minutos) deixa uma lembrança aterrorizante.

O que acontece no cérebro?

O sono tem fases. Uma delas é a REM (sigla em inglês para “movimento rápido dos olhos”). É nela que temos aqueles sonhos que parecem mais reais. A atividade cerebral fica semelhante à de quando estamos acordados porém o tônus muscular está bem diminuído.

A explicação para esse relaxamento muscular (atonia) do sono REM é boa: se os sonhos são vívidos nessa fase e podemos, por exemplo, sonhar que estamos fugindo de alguém, poderíamos sair correndo da cama e nos machucar. Se os movimentos estão inibidos, isso não acontece.

O problema é quando a atonia REM continua depois de acordarmos. É como se a mente já tivesse acordado, mas o corpo ainda não; e ficamos incapazes de nos mexer.

Causas da paralisia do sono

De acordo com o Medical News Today e este artigo, alguns fatores vem sendo observados quando pessoas têm paralisia do sono (e podem, então, ser causas do problema):

  • Dormir de barriga para cima
  • Não dormir o suficiente
  • Padrões de sono irregulares
  • Narcolepsia (um distúrbio caracterizado por sono súbito e incontrolável)
  • Histórico familiar de paralisia do sono

Em junho do ano passado, estudiosos publicaram uma revisão de quarenta e duas pesquisas feitas sobre paralisia do sono. A ideia foi checar quais fatores realmente mais aparecem. Perceberam que dormir pouco, ou ter um sono sem qualidade, de fato são grandes responsáveis. Além disso, “o sono perturbado é comum entre aqueles que usam drogas, experimentam estresse e relatam dificuldades psiquiátricas”, segundo Gregory, um dos autores do estudo.

Existe tratamento para a paralisia do sono? Como evitar?

Você deve ter percebido, no parágrafo anterior, que os estudiosos apontaram, na verdade, hábitos de vida: como dormimos, o quanto dormimos, o que ingerimos, o nível de estresse… Prestar atenção a esses hábitos, prezar pela qualidade e quantidade do sono podem ajudar a evitar a paralisia do sono.

Geralmente não é necessário um diagnóstico médico para a paralisia do sono, a menos que os sintomas causem transtornos além da conta. A intervenção médica, até mesmo com medicamentos, é importante se a pessoa fica muito ansiosa, pensando que pode acontecer a paralisia quando for dormir, se tem dificuldade para adormecer ou ainda se sente sonolência anormal durante o dia ou simplesmente adormece em momentos inesperados e inadequados (sinais que podem indicar narcolepsia).

Uma dica dos profissionais é tentar mexer inicialmente partes pequenas do corpo, como dedos, porque isso pode ajudar a sair da paralisia do sono mais rapidamente. Ainda que não exista uma cura definitiva, saber que é algo explicado pela neurociência e que acaba em instantes pode tranquilizar quem passa por isso ou venha a ter essa experiência nada agradável.

 

PARALISIA DO SONO: O QUE FAZER?

Tal fenômeno pode ter duração variando alguns segundos até cerca de três minutos. Passado o tempo, a paralisia cessa e o corpo recobra capacidade de se mover novamente. Um dos conselhos mais usuais é ficar parado a respirar lentamente e esperar que passe. Enquanto se concentra na respiração, a mente não fixa no momento. Então, quando menos espera o corpo deixa de estar paralisado. Pode-se tentar mover um dedo e lentamente mover o resto da mão, do braço, até que todo o corpo se mova. Outra técnica popular é piscar várias vezes, ou fechar os olhos fazendo um pouco de força. Seja qual técnica você usar, o corpo acabará desativando a paralisia.

Estima-se que até 60% da população mundial já tenha passado por essa experiência pelo menos uma vez na vida. Em algumas culturas, isso significava pré-disposição ao xamanismo e contato com o mundo dos espíritos.

 

Fonte:

https://diariodebiologia.com/

https://meucerebro.com/

 

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O melhor da PortalEnf no teu Email...

Assina a nossa Newsletter e recebe todas as novidades da PortalEnf!

Obrigado por assinar. Vais receber um mail... verifica a caixa de Spam!

Something went wrong.

Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo