Segurança Social apoia 953 creches com horário alargado

0 110

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Gabinete de Vieira da Silva explica que apoio aos trabalhadores da Autoeuropa é comum e dá números: das 1.862 creches com acordo com o Estado, 953 recebem o mesmo apoio por horário alargado.

Das 1.862 creches com acordo de cooperação com a Segurança Social que existem em Portugal, 953 beneficiam do complemento de horário de creche, atribuído a creches que operam em horário alargado (além das 11 horas diárias), informou esta terça-feira o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Lisboa é o distrito com mais creches nesta situação (176), seguido por Aveiro (165) e Porto (143).

Esta informação foi adiantada esta tarde pelo Ministério depois de, na noite de terça-feira, o gabinete do ministro Vieira da Silva ter explicado que o apoio à creche para os filhos dos trabalhadores da Autoeuropa não é uma exceção, mas sim um programa que já tem sido aplicado em várias outras instituições.

Na terça-feira, soube-se que a Segurança Social está em conversações com a comissão de trabalhadores da fábrica da Volkswagen de Palmela e que já tinha identificado vagas em IPSS na zona de Palmela onde os trabalhadores poderão deixar os seus filhos quando forem trabalhar ao sábado (o novo horário de trabalho entra em vigor já a partir do próximo mês).

Essa utilização das creches aos sábados, noticiou também a agência Lusa, será apoiada pelo complemento de horário de creche, fornecido pela Segurança Social.

A notícia gerou dúvidas sobre se este seria um apoio exclusivo para os trabalhadores da Autoeuropa e o Ministério apressou-se a explicar que não. “Este apoio não é novo, nem é exclusivo aos trabalhadores da Autoeuropa. Está disponível a todos os trabalhadores, bastando que estes façam o pedido junto da IPSS que deverá requerer à Segurança Social a sua análise“, explicou o Ministério.

Segundo fonte oficial do ministério explicou ao Observador que a reunião que decorreu esta quarta-feira entre os serviços da Segurança Social e a comissão de trabalhadores serve para ajudar a Autoeuropa a “fazer uma correspondência entre as necessidades dos trabalhadores e as IPSS“, mas que não há nenhum apoio exclusivo a esta empresa.

O que sucede, explicou o ministério em comunicado na terça-feira, é que o complemento de horário de creche é habitualmente “concedido em IPSS que funcionam, regra geral, perto de empresas ou instituições onde existe trabalho por turnos“, o que faz aumentar a procura por creches em horários fora do normal.

A intervenção direta do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social neste caso deveu-se a um pedido da comissão de trabalhadores da Autoeuropa “no sentido de ajudar a encontrar uma solução para as famílias que prestam trabalho por turnos ou ao sábado, solução essa que ainda está a ser avaliada, sendo o Complemento de Horário em Creche uma das possibilidades a considerar caso se verifique a disponibilidade por parte de instituições sociais que desenvolvam a resposta social creche com acordo de cooperação com a Segurança Social”.

[ratemypost] [ratemypost-result]

Fonte Observador
Loading...
Share This Article:

close

Partilha isto com um amigo